Publicidade

cotidiano

Em quatro anos, John Boyd registra 46 mil infrações por avanço de sinal vermelho

Só neste ano, das 48,1 mil autuações deste tipo registradas de janeiro a abril em toda a cidade, 5.245 foram na John Boyd

| ACidadeON Campinas -

Flagrante registou veículos avançando o sinal vermelho na avenida (Foto: Reprodução/EPTV)

Uma das principais avenidas de Campinas, e recordista de acidentes na cidade, a Avenida John Boyd Dunlop registrou em quatro anos, de 2018 a 2021, o total de 46.093 infrações por avanço de sinal vermelho. 

O balanço, da Emdec (Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas), contabiliza as autuações feitas por equipamentos de fiscalização eletrônica e também aplicadas por agentes de trânsito. 

Só neste ano, segundo o levantamento, das 48,1 mil autuações deste tipo registradas de janeiro a abril em toda a cidade, 5.245 foram na John Boyd. 

Ao todo, a John Boyd, que tem 15 quilômetros de extensão, contabiliza 47 cruzamentos semaforizados, mas apenas sete possuem radares de avanço de sinal vermelho e velocidade. 

Veja número de infrações por ano: 

2018 121.650 autuações, sendo 15.761 na Avenida John Boyd Dunlop
2019 137.841 autuações, sendo 1.228 na Avenida John Boyd Dunlop (redução por causa de obras do BRT)
2020 145.908 autuações, sendo 13.666 na Avenida John Boyd Dunlop
2021 162.062 autuações, sendo 15.438 na Avenida John Boyd Dunlop
2022 (janeiro a abril) 48.175 autuações, sendo 5.245 na Avenida John Boyd Dunlop 

DESRESPEITO SEM DISFARCE 

Durante a manhã, a equipe de reportagem da EPTV esteve em trechos da John Boyd e comprovou a falta de respeito com a sinalização semafórica pelos motoristas e motociclistas. 

Em um dos trechos, no Jardim Florence, em 18 minutos, 33 motoristas passaram no sinal vermelho. Já no trecho em frente ao Shopping Unimart, foram 19 infrações no mesmo período.  


O desrespeito causa receio aos pedestres que atravessam pelas faixas. "A gente espera ficar vermelho pra eles e verde pra gente, mas tem que ficar atento, porque várias motos passam e chegam do nada", disse uma pedestre que passava pelo local. 

Tanto carros como motos passam pela sinalização sem se importar com pedestres, mas receio é com os veículos que muitas vezes não são vistos. 

"Já passei sufoco, às vezes chega e a gente não percebe, a gente fica preocupado com as motos porque a gente não vê onde está", contou outra pedestre.  

A MAIS PERIGOSA 

Um levantamento divulgado em fevereiro deste ano apontou que a John Boyd é a avenida recordista de acidente na cidade. Dos 2.164 acidentes que aconteceram no ano passado em Campinas, 374 ocorreu na John Boyd, ou seja, 17% do total. 

No último mês, a Administração divulgou um ranking das avenidas mais fatais nos últimos três anos na cidade, a John Boyd aparece em primeiro lugar. 

O QUE DIZ A EMDEC 

Em entrevista à EPTV, o presidente da Emdec, Vinicius Riverete, disse que, a príncipio, o foco é a conscientização. 

"É incrível o número de pessoas que avançam o sinal vermelho na Avenida John Boyd e, em razão disso, estamos trabalhando inicialmente com a conscientização. Começamos a campanha na John Boyd porque se pegarmos acidentes e mortes mais de 15% aconteceram ali. É um problema que temos na cidade como um todo, mas na John Boyd existe desrespeito", afirmou. 

O presidente ainda citou o novo edital que prevê 18 novos radares na cidade. 

"Existe a previsão de novos radares, que já foram anunciados, que levam em conta acidentes com mortes. Não tem um prazo certo, depende da licitação, mas enquanto isso o trabalho de conscientização vem sendo feito", acrescentou.

Publicidade