Publicidade

cotidiano

Projeto abre inscrições para que voluntários leiam a pacientes de hospitais

Leitura acontece nos hospitais Ouro Verde e Mário Gatti; veja como ser voluntário

| ACidadeON Campinas -

 

O projeto Leitura no Leito foi implantado em 2018 e suspenso no período de pandemia (Foto: Arquivo/PMC)

O projeto 'Leitura no Leito', em que voluntários leem a pacientes dos Hospitais Municipais Mário Gatti e Ouro Verde, em Campinas, está de volta e com inscrições abertas, após a suspensão por causa da pandemia. 

O projeto visa levar poesia, cultura e palavras reconfortantes para pacientes que estão internados. Quem quiser ser voluntário e ler para os pacientes deve enviar um e-mail a humanizacao@hmmg.sp.gov.br demonstrando interesse, e receberá um formulário com as orientações para fazer o cadastro.

Segundo a Prefeitura, não há prazo específico para o encerramento das inscrições. O projeto tinha sido implantado em 2018 e suspenso no período de pandemia. 

COMO FUNCIONA

O horário para a leitura será das 15h às 16h, às terças-feiras no Hospital Municipal Mário Gatti e às quartas-feiras no Complexo Hospitalar Prefeito Edivaldo Orsi (Hospital Ouro Verde).  

Os candidatos devem colocar no e-mail em qual local preferem atuar. O início e a escala de dias de leitura serão definidas, de acordo com o número de voluntários.

A coordenadora de Humanização da Rede Mário Gatti, Lucimeire Martini, explica que os voluntários passam por uma capacitação, pela qual recebem orientações de como esse trabalho deve ser feito e os protocolos a serem seguidos.  

"A leitura faz bem aos pacientes, diminui a angústia de estar no hospital, estimula a imaginação. E para quem lê também é muito gratificante, porque percebe como esse ato contribui para o bem-estar do outro, além da troca experiências", diz Lucimeire.

Os livros a serem lidos são disponibilizados nas unidades de saúde, e os voluntários também podem levar os próprios. A recomendação, explica Lucimeire, é que a leitura seja de temas leves, e se possível, curtas.  

"Poesias, por exemplo, são muito bem-vindas", diz. O importante é uma boa história, para dar leveza ao corpo e à alma, durante a estada no hospital.



Publicidade