Publicidade

cotidiano

Mortes por infarto aumentam 16% entre janeiro e maio em Campinas

Conforme o registro civil, 384 pessoas morreram após o quadro em Campinas neste período; veja sintomas e os fatores de risco

| ACidadeON Campinas -

Pacientes com suspeitas de infarto devem procurar hospitais imediatamente (Foto: Reprodução/EPTV Campinas)
 

De janeiro a maio deste ano, 384 pessoas morreram de infarto em Campinas, segundo dados do registro civil. O número é 16,7% maior do que o total registrado no mesmo período do ano passado, quando ocorreram 329 óbitos.

Os resultados elevam a preocupação sobre os cuidados com a saúde e os hábitos de risco e ligam o alerta também para a importância de procurar socorro e ajuda médica o mais rápido possível, assim que o quadro for percebido pelo paciente.

O médio cardiologista, Silvio Giopatto, explica que a situação ideal é que a pessoa seja levada ou se encaminhe para uma unidade médica durante a percepção dos sinais. O atendimento rápido do caso pode fazer toda a diferença.

"Você ter uma morte súbita na presença de uma equipe médica bem preparada para atender esse tipo de situação, você estará no melhor lugar do mundo, porque imediatamente as manobras de reanimação serão iniciadas", explica.

LEIA MAIS
Americana monitora caso suspeito de varíola dos macacos
Estudo: 61% dos entrevistados conhecem dependentes químicos em Campinas

FINAL FELIZ


O bancário Sidney Nunes conta que não se sentiu bem durante um jogo de futebol de fim de semana. "Eu senti um cansaço muito grande nos dois lados do peito. Respirei três vezes, vi que tinha algo errado e parei o jogo", detalhou.

Foi um dos filhos que levou o homem de 49 anos para o hospital. No local, os médicos descobriram que ele tinha uma artéria obstruída e estava enfartando. Sidney teve uma parada cardíaca e foi reanimado por cerca de 40 minutos.

O médico cardiologista Hugo Pazianotto diz que a procura rápida foi essencial para que o atendimento tivesse êxito. "Ele fez essa procura rápida e espontânea, passou por esse procedimento e ocorreu tudo bem. Agora teve alta", esclarece.

Depois que a equipe médica desobstruiu a artéria, Sidney se recuperou e comemorou a alta recebida recentemente.
"É uma vitória. Gratidão. Eu sou um milagre", define o bancário, agora liberado para seguir a recuperação em casa. 

Sidney Nunes teve um infarto e foi salvo após procurar atendimento rapidamente em Campinas (Foto: Reprodução/EPTV Campinas)
 


OS SINTOMAS

Os sintomas de infarto considerados mais comuns são os seguintes sinais:

- Dor no peito no lado esquerdo ou na região central, que se caracteriza por aperto, ou queimação e que pode irradiar para o ombro

- Suor frio, principalmente na parte superior do corpo

- Náusea e vômito

- Sensação de falta de ar

- Dor no corpo pescoço e mandíbula: se surgir de repente e a pessoa nunca sentiu, deve procurar um OS (pronto-socorro)


FATORES DE RISCO

Entre os fatores de risco do infarto, segundo os especialistas, estão pressão alta, colesterol alto, tabagismo, sedentarismo e também o estresse. E por esse motivo é fundamental se cuidar o mais cedo possível e manter os hábitos saudáveis.

"Desses casos de infarto, cerca de 50% evoluem a óbito antes de chegar a um serviço de emergência. No caso de pacientes que entram em parada cardiorrespiratória, essa evolução pode chegar a 80%, alerta Hugo Pazianotto.

LEIA TAMBÉM
Cepagri prevê nebulosidade e chuva nos próximos dias em Campinas


Publicidade