Publicidade

cotidiano

Câmara de Campinas aprova LDO de R$ 6,6 bi em 1ª discussão

Lei de Diretrizes Orçamentárias para 2023 prevê total de receitas 1,43% maior do que em 2022; veja as cifras

| ACidadeON Campinas -

Vereadores aprovaram a matéria durante sessão ordinária nesta segunda-feira (20), em Campinas (Foto: Divulgação/Câmara de Campinas)
 

Os vereadores de Campinas aprovaram em 1ª análise na noite de hoje (20) a LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) de 2023, que prevê receitas de R$ 6,6 milhões, total 1,43% maior do que o deste ano, que teve R$ 6,5 bilhões.

As diretrizes orçamentárias determinam o planejamento financeiro da cidade para o máximo ano. Através da projeção, a Administração consegue propor metas e definir aportes financeiros em áreas prioritárias ao longo de 12 meses.

"A diretriz é mais uma peça que compõe o planejamento municipal. Define projeção de receita e as divide entre as diversas secretarias para apresentar seus programas e ações", disse o vereador líder do governo, Luiz Rossini (PV).

Após a aprovação na noite de hoje, a LDO volta a ser debatida em discussão definitiva nos próximos dias. Além deste PL (projeto de lei), os vereadores também debateram e votaram outra matéria na reunião ordinária (leia abaixo).

LEIA MAIS
Inflação reduz número de doações a entidades de Campinas
Campinas abre inscrição para contratar 132 agentes de educação infantil

COMPARAÇÃO


Com previsão de R$ 6,6 bilhões de receitas em 2023, Campinas teve R$ 6,5 bilhões na LDO de 2022. Em 2021, foi aprovado um valor de R$ 6,3 bilhões. Na comparação entre os valores de 2021 e do próximo ano, o aumento é de 4,76%.

- 2023: R$ 6,6 bilhões

- 2022: R$ 6,5 bilhões

- 2021: R$ 6,3 bilhões


OUTRO ASSUNTO

Na sessão desta segunda, também foi aprovado em turno único o decreto legislativo, que aprova o parecer do TCE-SP (Tribunal de Contas do Estado de São Paulo) sobre as contas da Prefeitura de Campinas do exercício de 2017.

Prefeito nesta época, o ex-prefeito Jonas Donizette (PSB), foi representado pelo advogado Marcelo Pelegrini, que fez a defesa do projeto. Já a vereadora Mariana Conti (PSOL) contestou. Ela e Paulo Bufalo (PSOL) foram contra a matéria.

A proposta, que recebeu 28 votos favoráveis e dois contrários, foi elaborada pelas comissões de Finanças e Orçamento e de Constituição e Legalidade.

A SESSÃO

A sessão ordinária aconteceu no Teatro Bento Quirino, no Centro de Campinas. O local é usado enquanto as dependências do prédio do Legislativo, no bairro Ponte Preta, passam por reformas. Não há previsão para o término do trabalho.

LEIA TAMBÉM
SAP apreende 176 celulares perto de penitenciária de Campinas


Publicidade