Publicidade

cotidiano

Viúva de homem morto em Paulínia diz desconhecer ameaças

Esposa da vítima prestou depoimento à Polícia Civil de Paulínia; crime aconteceu em frente à escola da filha da vítima

| ACidadeON Campinas -

Ricardo Aparecido de Carvalho foi morto em frente à escola da filha em Paulínia (Foto: Reprodução/EPTV Campinas)
 

Em depoimento à Polícia Civil de Paulínia, a viúva de Ricardo Aparecido de Carvalho, baleado e morto em frente ao Colégio Adventista de Paulínia nesta segunda-feira (20), disse desconhecer qualquer ameaça recebida pelo homem.

A informação foi passada pelos policiais à reportagem da EPTV Campinas. A suspeita no momento é que o corretor de imóveis de 36 anos tenha sido vítima de uma execução, já que foi alvejado ao menos cinco vezes (leia mais abaixo).

"A gente apreendeu os celulares da vítima para ver se houve um contato anterior, alguma forma de atrair ele para aquele local, alguma mudança no comportamento dele", afirma o delegado responsável, Roney de Carvalho.

Horas depois do crime, que aconteceu por volta de 11h no bairro Jardim Itapoan, os policiais fizeram diligências para identificar outras câmeras que podem ter flagrado o carro usado pelos criminosos. A placa seria de Mairiporã, no estado de São Paulo. 

O assassinato foi registrado por um equipamento de monitoramento e mostram quando o autor dos disparos corre em direção a Ricardo e atira várias vezes. As imagens também mostram o pânico das testemunhas (veja o vídeo abaixo).   

LEIA MAIS
Dupla é presa após roubo com sequestro-relâmpago em Campinas
SAP apreende 176 celulares perto de penitenciária de Campinas

O CRIME

O crime ocorreu no final da manhã desta segunda, quando o homem foi à escola buscar a filha. Ao parar o veículo, ele foi baleado por um homem que desceu rapidamente de um veículo estacionado a poucos metros de distância .

O assassino disparou ao menos nove vezes, sendo que pelo menos cinco tiros atingiram o corpo do homem. Logo após sair de perto da vítima, o homem encapuzado corre de volta para o veículo que o aguardava e foge em velocidade.

Ricardo foi socorrido, mas morreu no hospital. Ele deixa uma filha de 10 anos.

MEDO E COMUNICADO

Após o crime, pais e mães de estudantes da escola relataram o medo com a situação. "Foi muito bruto, muito violento. Só o fato de ser ali próximo, na porta da escola, choca. A gente vê que não está seguro", disse uma das mulheres.

Em nota, o Colégio Adventista de Paulínia informou que está à disposição da família da vítima e disse que nenhuma criança ficou ferida. "No momento da fatalidade, os estudantes e funcionários estavam em segurança", diz o texto.

"A diretoria do Colégio Adventista de Paulínia reitera que está colaborando com as investigações e já reforçou a segurança no entorno", argumentou ainda. (Com informações de Bianca Rosa/EPTV Campinas)

Publicidade