Publicidade

cotidiano

Número de balões vistos perto de Viracopos, em Campinas, cresce 50% em 2022

Gerente de segurança de Viracopos fala em risco de queda de aeronaves em terminal de Campinas por conta de balões

| ACidadeON Campinas -

Balão que caiu em aeroporto de Campinas (Foto: Reprodução/EPTV Campinas)
 

O número de balões avistados na área do Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas, disparou este ano em relação ao ano passado. Houve um aumento de 50% em relação a 2021.

Além do risco de causar incêndios quando caem, os balões também podem atrapalhar a rota dos aviões que aterrissam e saem do terminal de Campinas.

Ao chegar para pousar, um avião pode ultrapassar os 300 km/h, e nestas condições o choque com um balão pode ter graves consequências.  

LEIA TAMBÉM 
Vice-diretor é afastado após criança com autismo sofrer castigo em escola de Jaguariúna
 
Campinas tem 419,8 mil CPFs com dívidas; veja valor médio 
Motorista atropela duas pessoas em frente ao Centro Médico de Campinas

A gerente de segurança operacional de Viracopos, Rosa Brollo, alertou que uma colisão entre um avião e um balão pode derrubar o a aeronave.

"Geralmente esses balões carregam botijões de gás para manter a chama acessa. Se colidir com um balão desse, corresponde a mais de 100 toneladas e isso pode derrubar um avião tranquilamente" alerta.

LEVANTAMENTO

Nos dois últimos anos alguns balões caíram dentro do aeroporto. Em janeiro a 21 junho de 2021 foram avistados 38 balões sobre Viracopos. No mesmo período deste ano, foram vistos 57 balões, sendo que 13 deles caíram dentro do espaço aéreo.

Além de poder causar uma colisão, os balões causam impactos operacionais quando estão no espaço aéreo e com isso é necessário suspender pousos e decolagens para evitar acidentes. Essa medida acaba atrasando voos, impacta no trabalho dos controladores, e a sessão de incêndio do aeroporto tem que estar de prontidão casa haja a queda do balão para evitar incêndios.

CRIME AMBIENTAL


Vale lembrar que soltar balões é crime ambiental pois põe em risco o espaço aéreo. A legislação brasileira proíbe a fabricação, venda, transporte e a soltura de balões que possam provocar incêndios nas florestas e demais vegetações, em áreas urbanas ou qualquer tipo de assentamento humano. Quem for pego soltando balões é multado e pode ser preso.

"As pessoas têm que ter consciência que balão pode causar acidentes aéreos, em matas, ate pegar fogo em casas. Balão tem que estar nas festas juninas e não nos ares", finaliza Rosa.
 

LEIA MAIS 
Casais vão à polícia após empresa não cumprir contratos em Vinhedo


Publicidade