Aguarde...

ACidadeON

Voltar

cotidiano

Parklet do Cambuí será discutido em audiência na Câmara

O lugar é alvo de questionamentos, pois moradores do bairro reclamam de uso privado do espaço

| ACidadeON

Código 19
Parklet da discórdia no Cambuí/ Código 19

A instalação do parklet no Cambuí, em Campinas, será discutida em uma reunião pública na Câmara de Campinas no próximo dia 22. O lugar é alvo de questionamentos, pois moradores do bairro reclamam que apesar de ter sido construído em local público, o espaço está sendo usado para interesses privados de um restaurante que fica em frente ao espaço. Eles afirmam que clientes do local estão sendo atendidos no espaço o que acaba inibindo a presença de outras pessoas a conviverem no parklet.

A audiência pública foi marcada pelo vereador Nelson Hossri (Podemos) após pedido da próprio população do bairro. Ele afirmou que não é contra o espaço, mas acredita que é preciso discutir a instalação do espaço com os moradores que ali vivem já que muitos estão apelidando o lugar de “puxadinho do Cambuí”.

O vereador protocolou na semana passada um requerimento de informações dos estudos da Emdec para a implantação do projeto no local. A resposta pode demorar até 30 dias.

Na semana passada moradores do bairro criaram um abaixo-assinado, por meio do site Avaaz, pedindo a retirada do parklet construído na Rua Coronel Quirino. O abaixo-assinado quer atingir 500 assinaturas. Clique aqui para ver o abaixo-assinado.

A gestora ambiental e representante do Movimento Resgate Cambuí Teresa Penteado afirmou que o abaixo-assinado é uma forma de mostrar ao secretário de Transportes e presidente da Emdec, Carlos José Barreiro, que a população desaprova o parklet naquele local. Ele foi instalado em frente à porta da churrascaria Cenário. “Achamos que está tudo errado. A forma como foi feita e onde foi feito. Incomoda muito ser na frente do restaurante”, disse Teresa.

“A impressão que dá é que (a aprovação) foi passada por cima de todo mundo e de todas as leis. Pois ninguém apresentou nada ao contrário, nenhum parecer que comprove que está regulamentado. Falta informação”, disse. 

Leia mais aqui

EMDEC

Por meio de nota oficial, a Emdec informou que a “intenção, com o projeto piloto do Parklet, é de testar no município uma iniciativa, adotada internacionalmente e em algumas cidades brasileiras, que devolve à coletividade espaços públicos antes ocupados por veículos particulares”.

A nota informa que a implantação “é um laboratório sobre como utilizar, de maneira adequada, vagas de estacionamento de veículos para a implantação de áreas de convívio e descanso”.

Para a Emdec, o Parklet se compara a uma “minipraça montada”, que seria montada onde existe grande adensamento vertical. “A experiência da implantação do Parklet da Rua Coronel Quirino, enquanto laboratório, auxilia na definição de todos os conceitos, diretrizes e regramentos para a efetivação do conceito no município”.

Será com base nessas análises técnicas do projeto piloto, que a Emdec finalizará regramento para as novas ações no município. O regramento é de competência do Executivo. Serão seis meses de projeto piloto. A empresa informou ainda que “o parklet não interfere na circulação das pessoas pela calçada; e, também, não fere os regramentos de uso e ocupação do solo, definidos pela Administração municipal”.

Mais do ACidade ON