Publicidade

cotidiano

Existe relação entre o intestino e a depressão?

Estudos comprovam que as bactérias presentes no intestino podem influenciar na depressão, na felicidade e no bem-estar

| Especial para ACidade ON -

Werther Busato. (Foto: Divulgação)

Você sabia que nosso trato gastrointestinal é habitado por inúmeras espécies de bactérias que compõem a microbiota intestinal e exercem um papel importantíssimo na nossa saúde? 

Muitos estudos vêm demonstrando como as alterações do microbioma se relacionam e interagem diretamente com as respostas do nosso sistema nervoso, sistema endócrino, sistema imune, ou mesmo, se correlacionam com uma grande quantidade de distúrbios, condições ou patologias.  

Portanto, a microbiota intestinal pode influenciar na nossa função cerebral, inclusive em casos de depressão. Isso porque ela é responsável pela produção de grande parte das substâncias neuroquímicas, como serotonina e dopamina, que o cérebro utiliza para regular alguns processos, como aprendizagem, memória e humor.  

Cada dia mais os estudos científicos comprovam que a alimentação saudável é tão importante quanto as demais alternativas terapêuticas para o tratamento da depressão. E isso inclui a correção do processo inflamatório intestinal, por meio da regeneração do epitélio, correção dos microorganismos do intestino e interrupção do processo inflamatório crônico.  

Pilares que ajudam no tratamento da depressão:  

A depressão tem sido classificada de acordo com sua intensidade em leve, moderada e grave. Sabemos que a medicação tem muita importância no tratamento de todas elas, porém atualmente as abordagens de tratamento apontam que quatro pilares são importantes para um tratamento mais eficaz, principalmente como suporte nos casos leves e moderados. São eles:  

Medicação adequada e personalizada: principalmente nos casos graves, onde é imprescindível; 

Dieta saudável: dieta com padrão mais saudável, exemplo mediterrânea, com características de diminuição de um provável processo inflamatório intestinal e restauração deste intestino inflamado; 

Terapia Comportamental cognitiva (TCC): Suporte para controle de pensamentos indesejáveis e sentimento de culpa, muito associado ao quadro de depressão; 

Atividade física regular: Intensidade leve a moderada, como por exemplo caminhada pelo menos cinco vezes na semana.

Dr. Werther Busato: é médico clínico geral com especialização em Medicina Preventiva, Nutrologia e Medicina do Sono e certificação profissional em Programas de Qualidade de Vida. Na carreira corporativa possui vasta experiência na gestão de promoção e prevenção de saúde individual e coletiva em grandes empresas. Na medicina sempre buscou olhar para o paciente como um todo, e desde sua formação na Unicamp, está sempre em busca de novas pesquisas e especializações que tragam qualidade de vida e ajudem a promover a saúde das pessoas. A escolha pela profissão veio da inspiração do avô materno que era um farmacêutico prático e dos irmãos, também médicos.



Mais notícias


Publicidade