Aguarde...

cotidiano

Campinas, capitais e Governo Federal discutem ações contra o Covid-19

Por mais de três horas, Jonas Donizette e prefeitos de 27 capitais apresentaram ao Governo Federal informações sobre medidas que estão sendo adotadas nos municípios

| ACidadeON Campinas

Reunião foi feita por videoconferência na manhã desta domingo (Foto: Carlos Bassan/PMC)

O prefeito de Campinas e de 27 cidades do Brasil realizaram, na manhã deste domingo (22), uma videoconferência sobre as estratégias de combate ao coronavírus (Covid-19) com o Governo Federal.

A conferência teve a presença de Jonas Donizette (PSB), prefeito de Campinas e presidente da FNP (Frente Nacional dos Prefeitos), o presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

O secretário de Saúde de Campinas, Cármino de Souza, e o presidente da Rede Municipal Mário Gatti de Urgência e Emergência, Marcos Pimenta, também participaram do encontro ao lado do prefeito.

Em mais de três horas, os prefeitos de 27 capitais e o de Campinas apresentaram ao Governo Federal informações sobre medidas que estão sendo adotadas nos municípios, solicitações e também fizeram questionamentos sobre como gerir a situação.

Além de Campinas, Jonas representou também a cidade de São Paulo - o prefeito Bruno Covas não pôde participar por conta da morte de sua avó, dona Lila Covas, viúva do ex-governador Mário Covas.

PRINCIPAIS PONTOS

Um documento da FNP foi previamente encaminhado ao Governo com as principais necessidades que a situação tem apresentado.

Os pontos básicos do documento abordam sobre envio de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) para as equipes de frente no atendimento de casos de coronavírus; liberação de recursos financeiros emergenciais; habilitação de leitos temporários em hospitais e unidades de urgência e emergência, tanto de internação quanto de unidades de terapia intensiva (UTIs); contratação de médicos rapidamente e também a normatização dos atestados de afastamento para profissionais da Saúde.

A FNP também encaminhou sugestão para medidas de amparo para pessoas em situação de vulnerabilidade social durante a quarentena.

Um dos principais pedidos dos prefeitos foi para que um comitê intrafederativo de gestão da crise harmonize as decisões que estão sendo tomadas em diferentes níveis de governo.

O presidente Bolsonoro, em sua fala de abertura na videoconferência pediu que os prefeitos "busquem alternativas para a solução do problema", evitando pânico.

Jonas Donizette reforçou para o presidente a necessidade de comunicar para a população que a situação demanda atenção. "O que o senhor fala tem muita influência. É preciso falar que realmente é uma situação grave a que o Brasil vive", pediu.

O ministro da Saúde também falou da necessidade de todos trabalharem juntos e tecnicamente. Mandetta solicitou que os prefeitos definam seus planos de contingência locais e os mantenham atualizados, enviando por e-mail nesta próxima segunda-feira sugestões que sejam específicas para as capitais e municípios de referência regional, como é o caso de Campinas e sua região metropolitana.

ESTRATÉGIA

Todos os prefeitos puderam falar e apresentar seus posicionamentos durante a reunião. O tema foi debatido por regiões do País, capital a capital. Jonas também pontuou as questões previamente fechadas pelos prefeitos da FNP.

Estratégias para vacinar o público idoso durante a Campanha Nacional de Vacinação da Gripe, que começa nacionalmente nesta segunda-feira, dia 23 de março, também foram avaliadas. O consenso é evitar expor o público acima de 60 anos, que deve permanecer em casa, mas também não pode deixar de receber a vacina da gripe.

Embora ainda não haja como imunizar contra o Covid-19, a vacina da gripe reduz casos graves de síndrome respiratória que podem sobrepor infecção por coronavírus e os vírus comuns da gripe que circulam nesta época do ano.

Municípios devem criar mecanismos locais para vacinar de forma o mais segura possível idosos, público-alvo da primeira fase da campanha. "Precisamos isolar os idosos com mais de 60 anos. Nosso foco nessa população tem que ser obsessivo", disse o ministro da Saúde. "As pessoas vivem nas cidades", destacou Mandetta, para quem o momento demanda posição de controle local, "com municipalismo forte, mas com racionalidade".

"É importante unificar o discurso e todos nós devemos ter responsabilidade de lidar com essa situação, que é grave", frisou Jonas Donizette. "A crise nunca deixa as pessoas iguais, podendo mudá-las para o bem ou para o mal. Estamos tendo um grande momento para nos reinventarmos como pessoas melhores."

CORONA EM CAMPINAS

Na noite desse sábado (21), Campinas confirmou nove casos do coronavírus na cidade. Destes, sete estão em isolamento domiciliar e dois internados. O município conta também com 253 em investigação e 39 descartados.   

A RMC (Região Metropolitana de Campinas) soma 15 casos, sendo nove em Campinas, um em Jaguariúna, três em Valinhos, um em Paulínia e um Hortolândia.

Para conter a doença, o prefeito Jonas Donizette (PSB) instaurou estado de calamidade pública neste domingo (22) e a cidade entra em quarentena a partir desta segunda-feira (23). 

As medidas determinam o fechamento de todos os serviços, com exceção dos considerados essenciais, como saúde, segurança e alimentação. LEIA MAIS AQUI 

Além disso, estão fechados todos os 25 parques e bosques da cidade.


Mais do ACidade ON