Aguarde...

cotidiano

Drones monitoram circulação de pessoas nas ruas de Sumaré

Equipamentos também fiscalizam estabelecimentos não essenciais que continuam abertos

| ACidadeON Campinas

Equipamento auxiliará na fiscalização de comércios e circulação de pessoas nas ruas (Foto:Código 19)
A prefeitura de Sumaré vai passar a utilizar drones para monitorar a circulação de pessoas nas ruas da cidade e também verificar a abertura de comércios não essenciais durante a quarentena contra o coronavírus.  

Somente nessa terça-feira (24), a Guarda Municipal, juntamente com as equipes da Vigilância Sanitária e do setor de fiscalização, realizou 94 orientações aos comerciantes do município. Os drones auxiliarão nessa fiscalização.  

A cidade não registra casos positivos da doença. No entanto, vem adotando medidas de forma a evitar a contaminação. Entre elas está a suspensão das atividades presenciais em espaço públicos e privados que não são essenciais e a disseminação de informações sobre a doença por meio de carros de som.  

LEIA TAMBÉM:      

Moradores cantam parabéns para jovem em sacadas de condomínio

Confira as últimas notícias sobre o coronavírus em Campinas e na região 

DECRETO: O QUE ABRE E O QUE FECHA 

O fechamento do comércio por 15 dias atinge todas as lojas com atendimento presencial, inclusive bares, restaurantes, cafés e lanchonetes. Estabelecimentos que servem alimentos e bebidas em mesas ou balcões só poderão atender pedidos por telefone ou serviços de entrega (delivery).  

De acordo com o decreto, está liberada a abertura dos estabelecimentos com atendimento presencial que prestam serviços considerados essenciais. No setor de alimentação, podem funcionar supermercados, hipermercados, açougues, lojas de conveniências e padarias, desde que não permitam o consumo no interior do estabelecimento nesse período da quarentena. Feiras livres estão permitidas.  

Já as barracas que comercializam pastéis, por exemplo, não poderão disponibilizar mesas com cadeiras. As pessoas terão que efetuar a compra e circular. Ninguém poderá consumir no local. 

Também poderão funcionar loja de venda de água mineral, postos de gasolina, oficinas, transporte público, táxis, aplicativos de transporte, serviços de call center, pet shops, funerárias, distribuidora de gás e bancas de jornais, transportadoras e armazéns. 

Nos serviços da área da saúde está liberado o funcionamento de hospitais, clínicas e farmácias. O Decreto autoriza o Município a dispensar licitação para aquisição ou locação de materiais, serviços e produtos que ajudam no tratamento ou prevenção do vírus, bem como a efetuar a requisição de bens e serviços de pessoas naturais e jurídicas. 

Outros setores com abertura permitida são empresas de segurança privada; empresas de limpeza, manutenção e zeladoria; bancos; lotéricas e correspondentes bancários. As concessionárias de gás, eletricidade e água não deverão interromper seus serviços, bem como os fornecedores de insumos e de materiais necessários ao enfrentamento da doença (álcool em gel, máscara, luvas, lenços de papel e aventais) devem reservar, no mínimo, 10% dos mesmos para abastecimento das unidades de saúde de Sumaré por 30 dias.

Mais do ACidade ON