Aguarde...

cotidiano

Após redução de ônibus, funcionários temem ficar sem salário

Sindicato da categoria protocolou um ofício solicitando posicionamento da Prefeitura e Emdec

| ACidadeON Campinas

 

Desde que foram dispensados, funcionários não sabem como pagamentos ocorrerão(Foto: Assessoria de Imprensa)

Com a redução das frotas de ônibus, motoristas, mecânicos e demais funcionários da rede de transporte coletivo de Campinas temem ficar sem salário durante o período de quarentena. Muitos deles foram dispensados e não receberam orientação de como ocorrerão os pagamentos. 

Diante disso, o Sindicato dos Trabalhos Rodoviários e Anexos protocolou, nesta quarta-feira (25), um ofício extrajudicial que notifica a Prefeitura Municipal, bem como a Emdec (Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas). 

No documento, a entidade sindical cobra um posicionamento a respeito de como ficarão os salários dos trabalhadores, principalmente daqueles dispensados após redução das frotas de ônibus. Os motoristas acima de 60 anos e demais funcionários que se enquadram no grupo de risco também deixaram de trabalhar.  

De acordo com o secretário geral do sindicato, Jeremias Nunes, a maior preocupação é que, com a queda do número de passageiros, as empresas não tenham como pagar os trabalhadores. 

"A empresa reduziu drasticamente a frota e esse pessoal que está em casa está preocupado, sem notícias de como vai ser a remuneração dele e que garantia terá. Queremos que a prefeitura, junto às empresas, garanta o pagamento desses trabalhadores. Ou então que façamos uma negociação para garantir o mínimo de sustento para eles", ponderou.  

Ainda segundo o secretário do sindicato, o atraso ou falta de pagamentos pode afetar até 10 mil pessoas, contando com os familiares de todos os funcionários empregados pela empresa.

Mais do ACidade ON