cotidiano

Especial coronavirus

Jonas prorroga quarentena e diz que vai multar lojistas

Fechamento do comércio vai até 22 de abril; prefeito endurece discurso e vai punir quem mantiver serviços não essenciais em funcionamento

| ACidadeON Campinas -

Fila em ponto de ônibus na área central em Campinas mesmo com a quarentena. (Foto: Luciano Claudino/Código 19)

O prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB), confirmou na tarde desta quarta-feira (8) que vai seguir o governador João Doria (PSDB) e prorrogar a quarentena na cidade até o próximo dia 22 de abril. A medida é uma forma de prevenção a propagação do novo coronavírus e a multa pode chegar a R$ 3,6 mil.
Jonas endureceu o discurso e disse que a partir desta quinta (9) vai aplicar multas a donos de estabelecimentos de serviços considerados não essenciais que continuarem funcionando.

"A postura até então era educativa, mas tem muita gente que fecha quando a Guarda Municipal passa e abre logo depois. Agora os agentes estão autorizados a aplicar multas", disse Jonas em uma transmissão ao vivo em suas redes sociais. Ele afirmou que hoje cedo duas lojas de roupa estavam abertas na área central e foram orientadas a fechar pela Guarda. 

Ele disse que está "inclinado" a promover a abertura gradual dos estabelecimentos depois do dia 22. "Se as variáveis forem positivas". Vamos continuar acompanhando a evolução dos casos. Se as variáveis forem positivas vamos abrir gradativamente. Se forem negativas vamos continuar com as medidas de isolamento", afirmou.    

A equipe de fiscais da Seplurb com o apoio da GM já está orientando os comerciantes a fecharem suas lojas cujas atividades não sejam essenciais. Caso ocorra reincidência, a primeira providência será o cancelamento do alvará, por conta da segurança em saúde. 

A partir desta ação administrativa o proprietário do empreendimento poderá ser multado em até 1.000 UFICs (R$ 3.616,00) e, na sequência, caso persista a desobediência ao Decreto de situação de calamidade pública, o estabelecimento será lacrado fisicamente.

Também nesta quinta, Campinas confirmou a quinta morte pelo coronavírus. A cidade tem ainda 85 casos confirmados e outros 956 sob investigação.
 
LEIA TAMBÉM 
Confira as últimas notícias sobre o coronavírus em Campinas e na região
Covid-19: tendas da Unicamp atendem 20 pacientes por dia
Supermercados medem temperatura de clientes em Campinas


A quarentena é uma medida recomendada pela OMS (Organização Mundial de Saúde) para evitar a disseminação do novo coronavírus. Desde o dia 23 de março, apenas serviços essenciais (estabelecimentos de saúde e alimentação, por exemplo) estão autorizados a funcionar em Campinas.

CONTROLE

Na semana passada, a Guarda Municipal percorreu comércios nas regiões do Campo Grande e Ouro Verde e determinou o fechamento das lojas que estavam abertas.

No domingo (5), a GM foi até a Lagoa do Taquaral coibir a aglomeração de pessoas que faziam caminhadas e atividades físicas.

Publicidade