Aguarde...

cotidiano

Carga com 726 mil testes da covid-19 chega em Viracopos

Equipamentos vieram da Coreia do Sul e serão usadas pelo governo do Estado de São Paulo no combate à doença; kits foram encomendados pelo Instituto Butantan

| ACidadeON Campinas

Carga no terminal de Viracopos. (Foto: Divulgação/Concessionária Aeroportos Brasil Viracopos)

Uma aeronave cargueira vinda da Coreia do Sul pousou na madrugada desta terça-feira (14) no Terminal de Carga do aeroporto internacional de Viracopos, em Campinas, como 726 mil testes (7.260 kits) para a identificação da covid-19. O material foi encomendado pelo Instituto Butantan e serão usados pelo governo do Estado de São Paulo no combate à doença. 

A aeronave partiu do aeroporto Internacional de Incheon, o maior aeroporto da Coreia do Sul e um dos mais movimentados do mundo, e fez uma escala no aeroporto de Frankfurt, na Alemanha, antes de seguir para Viracopos. A viagem com o material levou dois dias até Brasil e chegou por volta das 4h30. Ao todo são três contêineres que seguem escoltados pelo Baep (Batalhão de Ações Especiais da Polícia Militar) até São Paulo.

De acordo com a programação do Instituto Butantan, um segundo carregamento deve chegar ao Brasil nos próximos dias com mais 550 mil testes (5.500 kits), também embarcado na Coreia do Sul. Cada kit contém 100 testes de análise.  
 
LEIA TAMBÉM
Prefeitura e Unicamp divergem sobre início de testes
Covid-19: um mês depois, Campinas ainda tem "quadro inicial"
Índice de isolamento cresce, mas ainda é baixo em Campinas
Confira as últimas notícias sobre o coronavírus em Campinas e na região


O Instituto Butantan, com sede na capital paulista, integra o esforço coordenado pelo governo do Estado de São Paulo para controlar a disseminação do coronavírus. O laboratório montado no Instituto para detecção do SARS-COV-2 (coronavírus) é parte desse esforço.  
 
"O desembarque ocorreu de forma ágil e segura no Terminal de Carga de Viracopos", disse o diretor-presidente da concessionária Aeroportos Brasil Viracopos, Gustavo Müssnich.    


ESPERA LONGA 

Os insumos são essenciais para desafogar a fila de testes na rede de laboratórios do Estado, que chega a aproximadamente 15 mil. Destes, 12.200 já foram distribuídos e estão em execução, segundo o diretor do Instituto Butantan Dimas Covas. "Até o final da semana outros laboratórios devem se agregar, com isso esperamos na próxima semana não ter exames represados", disse.

A gestão João Doria (PSDB) chegou a anunciar que até o dia 10 de abril São Paulo teria condições de processar 8 mil testes por dia nos laboratórios, mas foi obrigada a entregar um novo prazo - 27 de abril.

Além dos testes da Coreia do Sul, São Paulo recebeu mais de 69 mil testes do Governo Federal e 106 mil testes rápidos doados por uma mineradora. 




Mais do ACidade ON