Aguarde...

cotidiano

Jonas libera comércio por drive-thru; lojas de veículos podem abrir

Além disso, prefeito informou que escritórios de contabilidade, advocacia, imobiliárias, buffets e eventos, além de agências de turismo, podem funcionar, mas sem receber clientes ou qualquer tipo de atendimento

| ACidadeON Campinas

Movimento em frente á loja na Rua 13 de Maio, em Campinas. (Foto: Luciano Claudino/Código 19)

O prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB), anunciou na manhã desta segunda-feira (11) um relaxamento da quarentena em alguns setores econômicos da cidade. Entre eles está a liberação do comércio para trabalhar com esquema de delivery e drive-thru e também a autorização da reabertura de concessionárias de veículos e lojas que vendem insumos para o atendimento de oficinas mecânicas.

Além disso, informou que escritórios de contabilidade, advocacia, imobiliárias, buffets e eventos, além de agências de turismo, podem funcionar, mas sem receber clientes ou fazer qualquer tipo de atendimento presencial. O serviço deve ser administrativo e interno.

O prefeito também liberou o funcionamento, mas sem consumo no local, de restaurantes, bares, lanchonetes e quiosques no esquema drive-thru e delivery. A medida também abrange as lojas de conveniência localizadas em postos de combustíveis.   

As medidas foram anunciadas durante uma live pelas redes sociais do prefeito. "Aqueles comerciantes da Lagoa do Taquaral, por exemplo, podem voltar a funcionar, mas sem o consumo local", explicou o prefeito. Campinas soma hoje 577 casos da doença e 27 mortes (leia mais aqui).
 
LEIA TAMBÉM 
Mulher de 28 anos morre por covid-19 em Campinas; casos chegam a 577


Jonas afirmou que todo o relaxamento que está sendo feito é baseado nos decretos estadual e também federal. "Tudo está sendo feito dentro das normas impostas pelo Comitê Covid-19 estadual e também em normas federais. Nada está fora da lei, tudo tem a segurança jurídica e também de saúde. Fizemos um enquadramento das leis que existem nos decretos", informou.

As atividades liberadas devem seguir as normas de vigilância em saúde com regras de distanciamento, uso de álcool em gel e máscaras, entre outros. 

No caso das atividades de comércio que podem vender remotamente estão incluídos todos os produtos que vão desde roupas até eletroeletrônicos. "Se for desta forma, poderá ser feita a comercialização do produto", afirmou e continuou. "O que não pode é funcionar de portas abertas com a entrada de clientes. Cada comércio deve ver como vai fazer".    

Sobre as lojas de material de construção o prefeito reafirmou: "Vale lembrar que as lojas de material de construção e similares podem funcionar com a presença do público dentro, mas respeitando as regras dos comércios essenciais".

Serviços de manutenção predial, hidráulica e elétrica também estão liberados, mas cada condomínio deve decidir se permite ou não este tipo de atividade.

No setor de automóveis, além das concessionárias, os serviços ligados ao atendimento de veículos como lava-rápido, locação e estacionamentos também podem voltar a funcionar. A Prefeitura também liberou os serviços de agronegócio.   

Os serviços de estética como cabeleireiro e manicure e pedicure, que não podem ser reabertos porque o trabalho é muito próximo entre uma pessoa e outra. 

RISCO  

O prefeito afirmou que sabe o risco de um provável aumento de casos devido ao maior número de pessoas circulando pelas ruas, mas tudo será observado. "O ideal seria o lockdown, mas estamos tomando medidas que foram avalizadas pelos órgãos sanitários. Estamos fazendo tudo isso em um ambiente controlado. Não vamos abrir a porta. Mas vai poder ser um caminho para buscar a subsistência das pessoas", afirmou. Ele ainda afirmou que todas as medidas devem ser feitas respeitando o isolamento social e evitando aglomerações.

"Dados de Campinas mostram que está controlado. Que o Estado tem dados do Interior que preciso entender, e é por isso que vou fazer parte dessa comissão para entender o que entendem por interior e os números de Campinas estão dentro de um controle", disse.  
 
Campinas é uma das cidades escolhidas para integrar o Conselho Municipalista, iniciativa do governo estadual para debater a possibilidade de flexibilização da quarentena e a retomada da economia em São Paulo. O conselho foi criado na última sexta-feira (8), por conta do aumento de casos de covid-19 no interior e também no litoral (leia mais aqui).
 
No último sábado, véspera do Dia das Mães e mesmo com grande parte das lojas fechadas, um grande número de consumidores foram até a Rua 13 de Maio no Centro de Campinas (veja aqui).  
 
O prefeito também informou que com a liberação de mais setores para o funcionamento será ampliado o número de ônibus em circulação na cidade. "Vai atender a demanda que irá aumentar", disse.  
 
O decreto com a flexibilização será publicado no Diário Oficial desta terça-feira (12), nele também estará a ampliação da quarentena na cidade até o dia 31 de maio.

Mais do ACidade ON