Aguarde...

cotidiano

Jonas cancela início de rodízio na segunda; regras passarão pela Câmara

A intenção do prefeito é debater as regras do rodízio, inédito na cidade, com o Legislativo e também com a sociedade

| ACidadeON Campinas

Prefeito de Campinas, Jonas Donizette. (Foto: Fernanda Sunega/Prefeitura de Campinas)

O prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB), voltou atrás e suspendeu o início do rodízio de veículos em Campinas marcado para começar na próxima segunda-feira (18). Ele informou durante live pelas redes sociais hoje (15) cedo que transformou o decreto, com as regras do rodízio, em um projeto de lei que será encaminhado à Câmara de Vereadores. Ele deve ser protocolado na próxima segunda-feira. 

A intenção do prefeito é debater as regras do rodízio, inédito na cidade, com o Legislativo e também com a sociedade, já que houve um grande número de setores que procuraram a Administração pública para passar suas demandas referentes ao modelo que seria adotado.   

"O Wanderlei (Secretário Municipal de Relações Institucionais de Campinas, Wanderlei de Almeida), me convenceu a dar o passo atrás e mudar minha atitude nesse momento. Acho que o bom conselho tem que ouvir. Então, na segunda-feira não está valendo o rodízio. Na segunda ele será protocolado e os vereadores vão decidir, depois se passar, revejo e veto ou aprovo", disse Jonas.

"Acredito na capacidade da Câmara para essa avaliação e dividir comigo essa decisão. Tenho convicção de que quando elenquei as categorias excluídas do rodízio já resolvemos 90% dos problemas de pessoas que entraram em contato. Mas agora será feito um debate na Câmara. Esse decreto foi transformado em projeto e vamos debater de forma on-line como o Legislativo tem feito desde o início da pandemia", afirmou o prefeito.

Sobre o tempo que isso poderá levar Jonas afirmou que não vai pressionar a Câmara. "Vamos acompanhar e haverá o tempo que a Câmara julgar necessário. É importante que eles relevem esse período que estamos passando", afirmou.
 
AS REGRAS 

Apesar de ainda não ter data para o início, o prefeito adiantou as categorias que terão exclusão no rodízio da cidade.

Estão liberados do rodízio todos os trabalhadores de serviços considerados essenciais, liberados para funcionar na quarentena de combate a covid-19. Entre eles estão profissionais da saúde, segurança, táxis, motoristas de aplicativos, ônibus e transporte de carga. 

Veículos de órgãos e serviços públicos municipais, estaduais e federais, veículos de serviço de limpeza pública urbana, veículos de polícia e operações de trânsito, ambulâncias e veículos prestadores de serviço à administração pública também ficam fora, assim como veículos da área da construção e manutenção civil, manutenção predial, veterinária e atendimentos pet, transporte de valores, segurança privada e da imprensa.   

Também ficam excluídos da restrição veículos de serviços de entrega de mercadorias e correspondências, incluindo motos, veículos de empresas com contratos para execução de obras públicas e comércio de alimentos. 
 
Também ficam fora as pessoas em tratamento hospitalar, com doenças crônicas. Para isso é necessário fazer cadastro no aplicativo de restrições da Emdec. 

O cadastramento dos motoristas liberados começa hoje por aplicativo e no site da Emdec (www.emdec.com.br).
A intenção da medida é aumentar o isolamento social na cidade que tem ficado abaixo dos 50% nas últimas semanas. A Prefeitura pretende tirar das ruas 20% da frota, ou seja, entre 200 mil e 250 mil veículos. O prefeito também afirmou que quando for iniciado o rodízio a frota de ônibus em circulação na cidade será ajustadas conforme a demanda.  

Campinas somou hoje 775 casos da doença e 34 mortes (leia mais aqui).
  
"Essas mediadas vão valer também para as placas de carros de outros municípios. Vale destacar que as circunstancias estão se agravando", disse Jonas. 

O RODÍZIO  

O rodízio em Campinas, quando for implantado, deve funcionar das 6h às 20h, como medida para aumentar o isolamento social para enfrentamento da pandemia do novo coronavírus.

Por dia, serão dois modelos de placas que terão restrição, assim como o rodízio adotado pela Capital antes da ampliação do sistema justamente por conta da pandemia, na semana passada (veja abaixo como vai funcionar). A proposta é, com isso, reduzir em 20% o trânsito de veículos na cidade.

Segundo Jonas, a intenção também é reduzir os acidentes de trânsito - que, dependendo da gravidade, podem precisar de leitos de UTI (Unidade de Tratamento Intensivo), criando assim uma "concorrência" com casos de covid-19.

COMO VAI FUNCIONAR

Das 6h às 20h

Segunda-feira: não podem circular veículos com placas final 1 e 2
Terça: final 3 e 4
Quarta: final 5 e 6
Quinta: final 7 e 8
Sexta: final 9 e 0



Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON