Aguarde...

cotidiano

Campinas soma mais duas mortes por covid-19; casos chegam a 1.183

A cidade também investiga outras 20 mortes suspeitas

| ACidadeON Campinas

Campinas divulga novos números da covid-19 neste sábado. (Foto: Denny Cesare/Código 19)

 
O prefeito de Campinas Jonas Donizette (PSB) atualizou na manhã deste sábado (23) os números da covid-19 em Campinas. Foram confirmadas mais duas mortes na cidade e o número total chegou a 53. Também aumentou o número de casos confirmados na cidade, são 50 confirmações a mais do que foi divulgado ontem. Agora, Campinas tem 1.183 casos confirmados. A cidade também investiga outras 20 mortes suspeitas. 
  
O chefe do Executivo fez uma live em suas redes sociais para a divulgação dos números e falar das medidas de combate a pandemia. Diferentes das últimas live Jonas fez a divulgação sozinho, em seu gabinete, e não respondeu perguntas encaminhadas pela imprensa.
 
As vítimas fatais divulgadas hoje são uma mulher de 67 anos que tinha comorbidades. Ela morreu no dia 15 de maio em hospital público.   

A segunda vítima é um homem de 72 anos que também tinha outras doenças. Ele morreu no dia 21 de maio em hospital particular. 
 
LEIA TAMBÉM 
Operação na região do Ouro Verde fecha 12 comércios
Knobel estuda adiar vestibular da Unicamp, junto com USP e Unesp

 
Em relação aos casos sob investigação, Campinas tem hoje 80 casos a mais do que ontem totalizando 410 casos. Também aumentou o número de casos descartados: 2.426. O total de pessoas recuperadas pela doença chega a 865 neste sábado.

Também aumentou o número de pessoas com covid-19 que estão em isolamento domiciliar. Hoje são 184, 32 a mais do que o número divulgado ontem.   

O número de pessoas internadas com covid-19 neste sábado chega a 81. "Vale destacar que nem todas estão em UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e nem todas estão intubadas", afirmou o prefeito.  
  
O prefeito também adiantou que na próxima semana divulgará um boletim epidemiológico com dados mais completos dos números de casos por faixa de idade e regiões mais atingidas pela doença. 

MEGAFERIADO 

O prefeito aproveitou para justificar a adesão ao megaferiado proposto pelo governo estadual e que em Campinas terá cinco dias para elevar o índice de isolamento social. 

"Nos fizemos um levantamento dos últimos feriados de 1º de maio e 21 abril. Nos dois tivemos uma taxa de isolamento semelhante de domingo ou maior. Isso mostrou que deu resultado porque feriado as pessoas ficam em casa. Vale lembrar que os setores de comércio e serviço são os mais atingidos por essa crise, eles foram os mais prejudicados. Se em 1º de junho tivermos a expectativa para reabertura gradual, teríamos em 11 de julho um feriado que cairia numa quinta-feira e emendaria com a sexta. Ia parar tudo de novo. E tem outro ponto uma das coisas que vão avaliar para essa reabertura é o grau de isolamento que será medido no dia 27 de maio, que é quarta-feira que será feriado aqui", afirmou o prefeito.



Mais do ACidade ON