Aguarde...

cotidiano

MP pede esclarecimentos sobre flexibilização em Campinas

Jonas Donizette (PSB) anunciou a flexibilização da quarentena nesta quinta-feira, o mesmo dia que a ocupação de leito SUS de UTI atingiu 90%

| ACidadeON Campinas

Jonas Donizette (PSB) anunciou flexibilização nesta quinta-feira (Foto: Divulgação) 

A promotora de patrimônio público, Cristiane Hillal, enviou um ofício à Prefeitura de Campinas questionando a flexibilização da quarentena na cidade, que foi anunciado pelo prefeito Jonas Donizette (PSB) nesta quinta-feira (28).

Segundo o anúncio feito pelo chefe do Executivo, os estabelecimentos deverão seguir regras sanitárias, além de um horário diferenciado de funcionamento.

A promotora informou que solicitou, de forma oficial, os estudos técnicos que embasaram a flexibilização.

Segundo o ofício, a flexibilização de Campinas parece ter sido mais flexível que o decreto estadual, com a abertura de restaurantes. A Administração tem um prazo de 24 horas para responder aos questionamentos.

Procurada, a Prefeitura informou que prestará todos os esclarecimentos ao Ministério Público, dentro dos prazos estabelecidos.

DIAGNÓSTICO

No mesmo dia em que anunciou a flexibilização, a Prefeitura também confirmou que a ocupação de leitos do SUS (Sistema Único de Saúde) para tratamento de pacientes com covid-19 chegou aos 90%. É o maior índice atingido desde o início da pandemia.

Segundo o governo, os serviços de saúde municipal e estadual têm apenas seis leitos de UTI disponíveis nesta quinta-feira (28). São três nos hospitais municipais (Mário Gatti, Ouro Verde, UPAs e leitos contratados de instituições particulares) e mais três em serviços estaduais (Hospital de Clínicas da Unicamp e AME).

Campinas também registrou mais duas mortes pelo novo coronavírus hoje, somando agora 67 óbitos pela doença. A cidade também teve aumento de 66 casos confirmados. Agora, são 1.353 as pessoas infectadas com a covid-19 (antes eram 1.287). O aumento é de 5,1% em 24 horas.

Mais do ACidade ON