Aguarde...

cotidiano

Covid-19: Jonas endurece Lei do Pancadão contra festas

Ideia é impedir aglomerações de pessoas e som alto em carros durante os próximos dias; PM deve apoiar ação

| ACidadeON Campinas

Operação, segundo Jonas, será feita pela GM e PM em Campinas (Foto: Denny Cesare/Código19) 

O prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB), afirmou nesta quarta-feira (10) que vai multar campineiros e apreender veículos que estejam com som alto nos próximos dias fazendo festas durante a pandemia de coronavírus na cidade. Ainda hoje, Campinas confirmou mais quatro mortes pela doença, somando 120 óbitos, e 3.169 casos.

De acordo com o chefe do Executivo, a ação será feita com base na lei municipal do Pancadão, para impedir festas com aglomeração a partir desta quinta-feira (10), com agentes da Guarda Municipal e apoio da Polícia Militar A multa, prevista pela lei de 2015, é de R$ 1,8 mil.

"Quero que esse tipo de coisa seja coibido. São dois fatores: aglomeração não pode. E depois acho muito impertinente, numa situação como esta. Chega a ser uma afronta para quem está fazendo as coisas corretamente", disse Jonas.  

LEIA TAMBÉM 
No fim de semana, comércio de rua abrirá das 9h às 13h
Estado põe Campinas em alerta, com "tendência" de regressão
Americana confirma mais dois óbitos por covid-19


Segundo ele, a operação deve ocorrer pelo menos amanhã e na sexta-feira (12), além da fiscalização nas redes sociais, para identificar a divulgação de eventos do tipo. "Aquelas atividades que para carro, com música alta, bebida, vamos fazer o trabalho. É um trabalho de preservação das pessoas. É uma afronta para quem está se resguardando", disse o prefeito.

Ele lembrou da Praça da Concórdia, no Campo Grande, local onde ocorriam geralmente festas de jovens, chamadas de "pancadão". "Era a praça da 'discórdia'. Tínhamos pancadões com milhares de pessoas. Demorei quase um ano para conseguir acabar. Porque temos que fazer as coisas com ponderação", disse.

A PM, por meio de assessoria de imprensa, foi procurada pela reportagem para comentar a operação, mas ainda não retornou o pedido da reportagem.


Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON