Aguarde...

cotidiano

Trabalhadores da saúde fazem ato em frente ao HC da Unicamp

A intenção é chamar atenção para um reforço de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) e também ampliação da testagem dos profissionais

| ACidadeON Campinas

Protesto ocorreu na rampa do 3º andar do HC. (Foto: Denny Cesare/Código 19)

Um grupo de trabalhadores da saúde fizeram na manhã desta terça-feira (23) uma manifestação em frente ao Hospital de Clinicas da Unicamp, em Campinas. A ação foi organizada pelo STU (Sindicato dos Trabalhadores da Unicamp) que afirmou que cerca de 30 pessoas participaram do ato.   

A intenção é chamar atenção para um reforço de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) e também ampliação da testagem dos profissionais que trabalham em toda a área de saúde da universidade.

Em cartazes os profissionais escreveram frases como: "As vidas dos trabalhadores e das trabalhadoras da saúde importam", "Com saúde não se brinca. Exigimos respeito". Eles também pedem melhores condições de trabalho, principalmente aos que estão atuando na linha de frente ao combate a pandemia do novo coronavirus.   
 
O sindicato afirma, que existem "inúmeras reclamações" sobre equipamentos de proteção individual, além de jornada extenuante, testes para detectar covid-19, aumento dos afastamentos, das contaminações e adoecimentos pela covid-19 e retirada de direitos trabalhistas.

"A ação é para chamar a atenção à saúde dos trabalhadores que enfrentam a covid-19. Temos sérios problemas e estamos pedindo reunião com os gestores dos hospitais e não conseguimos esse diálogo. Precisamos de reforço de EPIs e mais testagem em massa para os profissionais", afirmou Gabriela Barros, técnica de enfermagem do Caism e diretora do STU.  
 
Ela também afirmou que há um número grande de profissionais infectados pela doença, alguns internados e que os EPIs mais específicos só são entregues para profissionais que cuidam da área de UTI das unidades. "O sindicato está recebendo várias denúncias de profissionais, que inclusive estão sem EPIs mais específicos em enfermarias", disse. Ela não soube informar o número de profissionais infectados pela covid-19. 
 
OUTRO LADO 
 
Por meio de nota, o Hospital de Clínicas da Unicamp que o estoque estratégico de EPIs está normal e seguindo todos os protocolos de uso em ambientes COVID ou e não COVID estabelecidos pela OMS e Ministério da Saúde. São eles disponíveis: 

- Avental bilaminado (impermeável) 108.059
- Máscara 03 camadas (cirúrgica) 779.489
- Avental TNT (precaução de contato) 139.474
- Luva de procedimento cano longo P/M/G 124.097 + 398.368 + 86.558
- Touca 524.475
- Máscara PFF2 (N-95) 79.818 

Sobre contaminação em áreas não COVID, o HC esclarece que todos pacientes que são internados no hospital são testados com exame RT-PCR, o que permite total rastreabilidade de toda equipe envolvida desde a chegada na instituição. Em caso positivo do paciente, mesmo que assintomático, ele será internado em uma enfermaria COVID e toda equipe testada. 

O hospital esclareceu ainda que já comprou 3000 testes sorológicos para realizar em todos os funcionários assintomáticos do hospital, e que já foram realizados testes sorológicos em mais de 150 profissionais das equipes médicas, de enfermagem, de fisioterapia, da nutrição, da higiene e limpeza. O hospital afirma ainda que na linha de frente das áreas COVID não existem funcionários do grupo de risco. 

"O Hospital de Clínicas da Unicamp reforça seu empenho e esforço para o enfrentamento dessa pandemia, sempre apoiado em um alto grau de responsabilidade e de segurança com seus colaboradores e pacientes. Por isso, conta com a compreensão de toda comunidade e da população até que a situação da pandemia se normalize", disse em nota.

 


Mais do ACidade ON