Aguarde...

cotidiano

Homens são maioria entre vítimas de covid-19 em Campinas

Ainda segundo o boletim epidemiológico, maioria das mortes aconteceu na região Sul

| ACidadeON Campinas

Maioria das vítimas fatais em Campinas são homens, segundo a Saúde (Foto: Denny Cesare/ Código 19)
Dados do último boletim epidemiológico sobre a covid-19 divulgado pela Prefeitura de Campinas mostram que a população masculina representou a maior parte das vítimas fatais por coronavírus na cidade. Do total de mortes até sexta-feira (26), as vítimas do sexo masculino representam 51,3%, do total dos óbitos registrados.  

O boletim, que analisa os perfis das vítimas da doença, foi divulgado no último final de semana, levando em conta os números até o último dia 23 de junho, quando a cidade registrava 236 óbitos. Segundo a atualização de hoje, a cidade conta atualmente com 296 mortes, e 7.848 casos confirmados (leia mais aqui). O prefeito Jonas Donizette (PSB) fará uma live na tarde desta segunda-feira (29) onde passará mais dados sobre a pesquisa de testagem feita na cidade e o perfil das vítimas da doença em Campinas. 

LEIA TAMBÉM  
Covid-19: 97% dos leitos UTI do SUS estadual estão ocupados 
Covid-19: Campinas tem 6 mortes e 1,4 mil casos em profissionais da saúde 

Ainda segundo a análise da Vigilância Epidemiológica, a idade média dos pacientes que evoluíram para óbito foi de 72,1 anos. Segundo o balanço, foi registrado um óbito em criança menor de 9 anos (a vítima tinha cinco - leia mais aqui) e 15 mortes em adultos de 20 até 49 anos. Entre a faixa etária dos 50 aos 59, foram registradas 24 mortes, já acima dos 60 anos até maiores de 80 o número chega a 196.  

Das mortes registradas até a data, 62% foram em brancos, 31% em pardos e 18% eram pretos. Em 37 óbitos a informação foi ignorada.  

LETALIDADE POR REGIÃO  

A análise de mortes por região de Campinas aponta ainda que a maior letalidade (número de mortes) foi registrada na região do distrito de saúde da região Sul - onde estão CSs (Centros de Saúde) como o São Bernardo, Figueira e Paranapanema. A região teve 63 óbitos registrados.  

Já, a maior mortalidade (percentual de mortes por habitantes) se viu na região Leste (onde estão localizados os CSs do Centro, Taquaral e Sousas), com 58 mortes, o que representa 22,4 casos para cada 100 mil habitantes.  

Segundo a Vigilância, entre os óbitos em menores de 60 anos, chamou a atenção da Prefeitura os casos entre residentes de áreas de muito alta vulnerabilidade social. 

Esses números serão comentados na tarde desta segunda-feira pelo prefeito e também pelo secretário de Saúde, Carmino de Souza, que vai também apresentar o inquérito sorológico realizado neste mês para descobrir se a maioria da população de Campinas já teve contato com o coronavírus ou, pelo contrário, se pouca gente já foi contaminada. Ao todo 1,9 mil pessoas foram testadas. 

ÓBITOS EM HOSPITAIS  

Segundo o balanço feito com os dados de hoje (29), das 296 mortes registradas até esta segunda-feira, 170 aconteceram em hospitais públicos, e 119 em hospitais privados. Outras sete vítimas acabaram morrendo dentro de casa. 

Até o balanço do último boletim epidemiológico, os PS (Pronto Atendimentos), as enfermarias e as UTIS (Unidades de Terapia Intensiva) registraram o total 688 pacientes internados com SGRAG (síndrome respiratória aguda grave). O balanço de hoje aponta 382 pessoas internadas nesta segunda (29) na cidade.

Mais do ACidade ON