Especial Covid-19

Especial coronavirus

Campinas confirma mais 13 mortes e 457 casos de covid-19

Cidade chegou agora a 516 óbitos registrados e 12.884 casos confirmados de nova doença

| ACidadeON Campinas -

Casos de covid-19 continuam a crescer em Campinas (Foto: Denny Cesare/Código19) 

Campinas confirmou na tarde desta quinta-feira (16) a morte de mais 13 moradores da cidade pelo novo coronavírus, além de mais 457 casos confirmados da doença. Com isso, o município tem agora 516 óbitos registrados e 12.884 pacientes infectados.  

Em investigação são 695 (28 a mais) e há 21.500 casos descartados (593 a mais que ontem). A cidade também tem 29 óbitos sob suspeita e há ainda 10.883 pessoas recuperadas (418 a mais).

Em relação às internações, 417 pessoas continuam em leitos exclusivos de covid-19 (13 a menos que ontem) e, em isolamento domiciliar são 1.118.

Entre os 13 óbitos, 11 eram homens e duas mulheres. Em relação às doenças, 11 tinham doenças prévias e a maioria (cinco pessoas) eram maiores de 80 anos. Quatro vítimas tinham ainda entre 70 e 79 anos e outros três na faixa etária de 60 a 69 anos. Apenas uma vítimas tinha entre 30 e 39 anos (veja mais abaixo).

Sobre os números, o secretário de saúde de Campinas, Carmino de Souza, disse que apesar da maior letalidade entre idosos, o município vai começar a fazer uma investigação maior sobre os casos em pessoas jovens. "A epidemia começou na região leste (Sousas e Joaquim Egídio), onde tem concentração maior de idosos. Mas, agora, ela está se encaminhando para outros lugares, onde têm mais jovens", disse ele.

O secretário afirmou também que a gravidade da doença depende de vários fatores, entre elas a carga viral que a pessoa recebe mas também o próprio hospedeiro. "Queremos entender melhor os óbitos em pessoas mais jovens", disse. 
 
Sobre as vítimas  

 
Homem, de 65 anos, que tinha outras doenças. Morreu no dia 14 de julho em hospital público. O exame foi feito no Instituto Adolfo Lutz.  

Mulher, de 81 anos, que tinha outras doenças. Morreu no dia 05 de julho em hospital público. O exame foi feito no Instituto Adolfo Lutz.  

Homem, de 60 anos, que tinha outras doenças. Morreu no dia 15 de julho em hospital privado. O exame foi feito em laboratório privado.  

Homem, de 71 anos, que tinha outras doenças. Morreu no dia 13 de julho em hospital privado. O exame foi feito no Instituto Adolfo Lutz.  

Homem, de 88 anos, que não tinha outras doenças. Morreu no dia 06 de julho em hospital privado. O exame foi feito em laboratório privado.  

Homem, de 83 anos, que tinha outras doenças. Morreu no dia 07 de julho em hospital privado. O exame foi feito em laboratório privado.  

Homem, de 71 anos, que tinha outras doenças. Morreu no dia 14 de julho em hospital público. O exame foi feito no Instituto Adolfo Lutz.  

Homem, de 64 anos, que tinha outras doenças. Morreu no dia 15 de julho em hospital público. O exame foi feito no Instituto Adolfo Lutz.  

Homem, de 82 anos, que tinha outras doenças. Morreu no dia 13 de julho em hospital público. O exame foi feito no Instituto Adolfo Lutz.  

Homem, de 90 anos, que tinha outras doenças. Morreu no dia 14 de julho em hospital privado. O exame foi feito em laboratório privado.  

Homem, de 79 anos, que tinha outras doenças. Morreu no dia 14 de julho em hospital privado. O exame foi feito em laboratório privado.  

Mulher, de 75 anos, que tinha outras doenças. Morreu no dia 14 de julho em hospital público. O exame foi feito no Instituto Adolfo Lutz.  

Homem, de 36 anos, que não tinha outras doenças. Morreu no dia 12 de julho em hospital público. O exame foi feito no Instituto Adolfo Lutz.

Mais notícias


Publicidade