Aguarde...

cotidiano

Após alta, taxa de ocupação de UTI em Campinas estabiliza em 86%

Taxa divulgada ontem era de 86,5%; nesta segunda, sofreu ligeira mudança, passando para 86,7%

| ACidadeON Campinas

 

Campinas está com a taxa de ocupação de UTI estabilizada nesta segunda-feira (27) (Foto: Denny Cesare/Código19)

No primeiro dia operando na fase laranja do Plano São Paulo e com aglomeração no Centro da cidade, Campinas estabilizou a taxa de ocupação de leitos de UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) exclusivos para pacientes com covid-19. Segundo dado divulgado nesta segunda-feira (27) a taxa está em 87,71%. Ontem, era de 86,5%.

Atualmente, são 414 leitos de UTI nas redes pública e particular para os pacientes infectados. Deste total, 359 estão ocupados, o que corresponde a 86,71%. Há 55 leitos livres somando as redes pública e particular.

Há ainda na cidade 641 mortes registradas pelo novo coronavírus e mais de 16,2 mil casos confirmados (leia mais aqui). Na última semana, também, a cidade chegou a registrar a menor taxa em 39 dias. Isso ocorreu na sexta-feira (24), quando o índice de ocupação atingiu os 84,35%, a menor desde o dia 14 de junho. Desde então, a taxa vem subindo e se estabilizou entre ontem e hoje.

OS LEITOS


Os leitos na cidade são divididos conforme a gestão, seja municipal, estadual ou particular. Com isso, a maior taxa de ocupação segue no SUS municipal. De 155 leitos, 145 estão ocupados, o que equivale a 93,55%. Há apenas dez leitos livres.

No SUS Estadual - que envolve o AME (Ambulatório Médico de Especialidades) e o HC (Hospital de Clínicas) da Unicamp - a situação é a seguinte: de 93 leitos, 84 estão ocupados, o que corresponde a 90,32%. Há nove leitos livres.

Por fim, na rede particular, são 166 leitos disponíveis, dos quais 130 estão ocupados, o que equivale a 78,31%. Há 36 leitos livres.

Mais do ACidade ON