Aguarde...

cotidiano

Taxa de transmissão de covid-19 cai e chega a 1 em Campinas

Número significa que na cidade uma pessoa contaminada está transmitindo a doença para "somente" uma outra pessoa; taxa ainda não é considerada a ideal

| ACidadeON Campinas

Balanço da Prefeitura aponta que uma pessoa contaminada transmite a doença para 1 outra (Foto: Denny Cesare/ Código 19)

A taxa de transmissão da covid-19 caiu e chegou a 1 nesta semana em Campinas, patamar considerado o melhor entre os últimos meses de combate à pandemia na cidade. A taxa de 1 representa que uma pessoa infectada contamina no máximo mais uma pessoa.  

No final de maio, a cidade atingiu o índice de 1,8, considerado alto pela Saúde, e que representa que uma pessoa contaminada transmitia a doença para 1,8 - ou multiplicando os números, que 10 pessoas contaminariam 18, chegando próximo a dobrar o número de infectados. 

A diminuição na transmissão foi divulgada nesta sexta-feira (31) pelo secretário de Saúde, Carmino de Souza, durante uma coletiva nas redes sociais. Segundo o secretário, o número traz resultados positivos neste momento.  

"Essa taxa reflete o potencial de transmissão dentro de um território. Entre 1 e 2, é onde há transmissão, e o 2 é onde já não da pra segurar. O 1 é o mínimo, mas significa que ainda há transmissão, vamos estar tranquilos quando esse número abaixar ainda mais, porque aí teremos menos pacientes e mais curados", declarou.   

A estimativa da taxa de transmissão é feita por matemáticos e estatísticos, com base nos números de contaminação na cidade. Enquanto estava próxima a 2, a transmissão foi responsável por aumentar a pressão por leitos na cidade, que chegou a atingir a lotação máxima nos hospitais municipais. Hoje, a taxa de ocupação permanece alta mas com nível considerado estável. Segundo o último balanço da Saúde, a atual taxa de leitos covid-19 na cidade é de 81,4%.  

Entre os motivos apontados por Carmino para a diminuição da transmissão, está a adoção da quarentena e o respeito ao distanciamento social, medida que mesmo reduzida deve permanecer entre os moradores. 

"Tem coisa que a gente sabe e não sabe, mas isso se deve muito a quarentena, o isolamento e distanciamento social, esse número é ligado ao distanciamento, e enquanto não tiver uma solução definitiva ele é preciso", afirmou. 

EXPECTATIVA DE AVANÇO  

Durante a coletiva, o prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB), ainda sinalizou a expectativa de avanço de fase na próxima semana, segundo o Plano São Paulo. Atualmente, a cidade permanece na fase laranja, com autorização do comércio e shoppings, mas ainda com restrição para abertura de serviços como salões de beleza e restaurantes.  

Para a mudança de fase é preciso queda na taxa de ocupação dos leitos para o tratamento de covid-19 no DRS (Departamento Regional de Saúde) VI. No último dia 23, a região de Campinas tinha a taxa de 78,3% de ocupação. Já na quinta-feira (30), a ocupação caiu mais ainda para 73,3%. 

"Temos expectativa de na próxima semana, sexta-feira que vem a gente vá pro amarelo, podendo abrir salões, restaurantes", afirmou.  

Para o avanço, o prefeito fez ainda um apelo a população. "Espero que continuem levando pandemia a serio porque as pessoas precisam voltar a trabalhar. A pandemia não parou e ainda não está liberado para todos", disse.  

DIMINUIÇÃO 

Assim como a taxa de transmissão, o secretário de Saúde apontou a diminuição de casos na cidade, que segundo ele assinala um caminho para uma diminuição da taxa de leitos.  

"A gente percebe que o dia de hoje é melhor que de ontem, e amanhã será melhor que hoje. Ontem foi o primeiro dia depois de meses que a taxa de ocupação de leitos covid na cidade ficou abaixo de 80%, e é um número muito significativo, que dia a dia vemos diminuindo", declarou, citando também que houve diminuição na mortalidade dos casos da cidade.  

Apesar dos números positivos divulgados, Carmino ressaltou a importância de se continuar com as medidas já adotadas. "Continuamos de quarentena, não podemos diminuir. O que ta acontecendo não pode ser motivo pra relaxar, cada passo é fundamental e tem que ser feito com cuidado e adesão da população", declarou.

Mais do ACidade ON