Aguarde...

cotidiano

Covid-19: Campinas mantém ocupação de 81% em leitos de UTI

Taxa tem se estabilizado mas ainda é alta tem ligeiro aumento

| ACidadeON Campinas

Hospitais particulares têm maioria de leitos vagos para covid-19 (Foto: Denny Cesare/Codigo19)

Dois dias após a ocupação em Campinas atingir 80%- menor patamar em dois meses-, a taxa de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) de leitos covid-19 se mantém em 81%, mesmo nível que o divulgado ontem (31), com ligeiro aumento. Segundo a Prefeitura, o nível de ocupação neste sábado (1º) é de 81,69%. Ontem o percentual era de 81,40%.  

De acordo com a Saúde, dos 415 leitos exclusivos para pacientes contaminados na rede pública e particular, 339 estão ocupados, sendo a maior taxa de ocupação no SUS (Sistema Único de Saúde) municipal, que tem 138 dos 155 leitos ocupados, o que equivalente a taxa de 89,03%, com 17 leitos livres.  

Já no SUS estadual, que abrange o AME (Ambulatório de Especialidades Médicas) e o HC (Hospital de Clínicas) da Unicamp, dos 93 leitos oferecidos, 81 estão ocupados e 12 livres, o que responde a uma taxa de 87,1%.  

Nos leitos particulares a tendência continua de menos afogamento. No setor privado a taxa de ocupação em Campinas hoje é de 71,86%, com 47 leitos disponíveis, na rede que oferece 167 UTIs.  

EXPECTATIVA  

A taxa de ocupação de leitos de UTI é um dos critérios usados pelo governo estadual no plano São Paulo, que autoriza a reabertura em municípios do Estado.

Campinas termina neste fim de semana uma semana de retomada na fase laranja, que ocorre pela segunda vez na cidade. A primeira, foi feita em 8 de junho, mas em seguida a cidade regrediu após aumento de casos e ocupação hospitalar aumentar. Na última segunda-feira (27) o comércio abriu novamente, com expectativa mais positiva pela Administração.  

Durante uma transmissão nesta sexta-feira (31), o prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB) sinalizou a expectativa de avanço de fase na próxima semana, passando para a fase amarela. 

"Temos expectativa de na próxima semana, sexta-feira que vem a gente vá pro amarelo, podendo abrir salões, restaurantes", afirmou.  

Para a mudança de fase, no entanto, é preciso queda na taxa de ocupação dos leitos para o tratamento de covid-19 no DRS (Departamento Regional de Saúde) VI. Para o avanço, o prefeito fez ainda um apelo a população.  

"Espero que continuem levando pandemia a serio porque as pessoas precisam voltar a trabalhar. A pandemia não parou e ainda não está liberado para todos", disse.   

Na contramão do pedido de conscientização, o Centro de Campinas registrou aglomeração neste sábado, 1º fim de semana após a nova reabertura (leia mais aqui).  



Mais do ACidade ON