cotidiano

Especial coronavirus

Covid-19: mortalidade em Campinas é maior que Estado e País

Cidade apresenta índice de mortes por habitantes maiores que as médias de São Paulo e de todo o Brasil

| ACidadeON Campinas -

Movimentação do Centro da cidade no último sábado (Luciano Claudino/Código19)
Em meio ao avanço para a fase amarela e maior flexibilização da quarentena, Campinas apresentou na semana passada a taxa de incidência e mortalidade por covid-19 maiores que os índices do Estado e do Brasil, segundo dados do boletim produzido pela Secretaria de Saúde e divulgado na última sexta-feira (14) pela Vigilância Epidemiológica.

De acordo com o balanço realizado pela Saúde, que levou em conta os dados da última terça-feira (11), a mortalidade - índice que representa a quantidade de mortes por 100 mil habitantes - era de 67,7. Na última semana, o índice já era alto na cidade, com a taxa em 62,6.  

Em comparação com a mesma data, o Estado de São Paulo apresentava o índice de 54,8 mortes por 100 mil. Já no Brasil, o número chegou a 48,4.  

Entre a incidência de contaminação por 100 mil habitantes, os números da cidade também foram maiores que o próprio Estado e o do país, chegando à incidência de 1.797 casos por 100 mil habitantes, enquanto em São Paulo o índice é de 1.368, e a incidência no Brasil é de 1.454 casos por 100 mil.  

A letalidade - número de mortes por casos confirmados - também apresenta índices altos, e ultrapassa os casos do Brasil, chegando próxima ao índice estadual. Vale ressaltar que São Paulo é o estado com mais casos registrados no país.

Em Campinas, a taxa de letalidade chegou a 3,8 enquanto a cidade tinha 21.934 casos e 826 mortos. No país, com mais de 3 milhões de casos e 101.752 mortes, a letalidade era de 3,3. No Estado de São Paulo, o índice é de 4, com 628.415 casos e 25.151 óbitos.  

No último sábado Campinas não registrou nenhuma morte causada pela doença, ontem (16), voltou a registrar 16 novas mortes. Até este domingo a cidade somava 24.239 casos confirmados e 879 óbitos em decorrência da covid-19 (leia mais aqui).   
 
ALTA NO CONTÁGIO ASCENDE ALERTA

Na última sexta-feira (14) o prefeito Jonas Donizette (PSB) disse durante live que está avaliando a possibilidade de multar quem não usar máscara de proteção contra a covid-19 em Campinas. A afirmação ocorre devido à preocupação com uma possível alta da taxa de contágio da doença na cidade. O valor da multa seria de R$ 100.

Jonas apresentou um gráfico que mostra a queda dessa taxa de transmissão no mês de julho, porém no início de agosto, esse dado voltou a subir. Se essa alta for confirmada, ela pode ter ocorrido devido as medidas de relaxamento da quarentena de combate a doença que se iniciou no final do mês passado. Hoje o prefeito afirmou que vai avaliar o uso da multa financeira já que o principal termômetro para balizar a punição foi o monitoramento de frequentadores dos parques públicos da cidade que reabriram seus portões amanhã no sábado. Segundo o prefeito, caso muitos frequentadores estivessem sem a máscara de proteção contra o coronavírus, ele afirmou que hoje vai avaliar a aplicação da multa no valor de R$ 100. A multa será aplicada em todos os locais públicos (entenda aqui).

MAIOR NA PERIFERIA  

A taxa de mortalidade em Campinas registra ainda os maiores patamares em meio a regiões periféricas, onde a doença tem avançado cada vez mais.  

Segundo o boletim epidemiológico, a maior mortalidade da cidade é registrada no distrito de saúde da região Sudoeste, onde são encontrados os centros de saúde da região do distrito do Ouro Verde. Na região, o coeficiente de mortalidade chegou a 91,3.  

Em seguida, o segundo distrito com maior número de casos é o Noroeste, onde ficam os bairros do distrito do Campo Grande, como Satélite Iris, Jardim Florence, Valença e Ipaussurama. Na região o índice foi de 87, 4.

Mais notícias


Publicidade