Aguarde...

cotidiano

Professores fazem ato contra a volta às aulas presenciais em Campinas

Profissionais caminharam com faixas do Largo do Rosario até a escadaria da Prefeitura de Campinas na manhã deste domingo (13); volta às aulas está prevista para o dia 7 de outubro

| ACidadeON Campinas

Protesto ocorreu na manhã deste domingo (13) no Centro de Campinas (Foto: Denny Cesare/Código19) 

Um grupo de professores de Campinas protestou na manhã deste domingo (13) contra a volta às aulas presenciais no município em meio a pandemia de coronavírus. A retomada das atividades nas escolas está prevista para ocorrer no dia 7 de outubro e foi anunciada pela Prefeitura em agosto. A medida gerou polêmica na comunidade escolar e a maior parte dos pais também é contra enviar os filhos de volta à escola.

Hoje, o grupo se reuniu no Largo do Rosário, no Centro da cidade, e carregou faixas com mensagens como "conteúdos se repõe, vidas não" e também dizendo que a volta para a sala de aula ainda não seria segura. Os manifestantes usaram máscaras de proteção contra a covid-19 e também ficaram distantes uns dos outros durante o ato.

Eles também fizeram uma passeata pela região central e foram até o Paço Municipal, na Avenida Anchieta. A volta às aulas presenciais na cidade está prevista para o próximo mês e será apenas para os alunos de 5º e 9º ano, consideradas etapas finais do ensino. Há ainda a possibilidade da volta às aulas para crianças no ensino infantil com 4 e 5 anos, tanto nas escolas pública quanto nas privadas.

Já as crianças de 0 a 3 anos não deverão voltar e não há dia definido para que isso ocorra. Os demais alunos terão um reforço escolar no ano que vem, em uma espécie de "recuperação paralela".  



A Prefeitura informou que, para isso, deve adotar medidas sanitárias nas escolas municipais, como a limpeza da unidade várias vezes ao dia, o distanciamento social entre alunos e também um kit para cada um, contendo álcool em gel, máscara de proteção e uma garrafinha de água. Há ainda um plano de testar todos os profissionais de educação para a volta.

Segundo último boletim epidemiológico, divulgado ontem, Campinas tem 1.119 vítimas fatais da doença e 30.246 pessoas infectadas.

Mais do ACidade ON