cotidiano

Especial coronavirus

Anvisa libera uso emergencial de vacinas contra covid-19

Entre os imunizantes liberados, está a CoronaVac, testada no Hospital das Clínicas de Campinas

| ACidadeON Campinas -

Tudo sobre o coronavírus na nossa região e no Brasil 
A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou neste domingo (17) o uso emergencial da CoronaVac, vacina desenvolvida pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac.  A votação recebeu cinco votos favoráveis, portanto, unânime. A decisão passa a valer a partir do momento que a ata da reunião for publicada.

A CoronaVac foi testada em diversos centros de pesquisa no País, entre eles o Hospital das Clínicas de Campinas. Também foi aprovada a vacina de Oxford, desenvolvida em conjunto com o laboratório AstraZeneca e que conta com parceria com a Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) - leia mais aqui.

Durante a reunião, que começou às 10h e foi transmitida pelas plataformas digitais da Anvisa, a gerência-geral de Medicamentos da Anvisa recomendou a aprovação do uso do imunizante, condicionada a reavaliação periódica.   
 
A diretora da Anvisa Meiruze Freitas, relatora dos pedidos de autorização para uso emergencial das vacinas, votou favorável para liberação emergencial dos imunizantes, por considerar que elas são eficazes para prevenir a covid-19.  

Leia também: Coronavac tem eficácia geral de 50,4% no estudo feito pelo Butantan

De acordo com o ministério da Saúde, a campanha de vacinação deve começar já no próximo dia 20 de janeiro, quando as doses começarão a ser entregues nos municípios.  

Ainda neste domingo, o governador João Doria (PSDB), vai ser pronunciar no Hospital das Clínicas sobre a decisão da Anvisa. De acordo com o jornal Folha de S. Paulo, o governo estadual deve iniciar ainda neste domingo a vacinação, de forma simbólica.   

OPERAÇÃO LOGÍSTICA

A partir desta segunda (18), entra em operação o plano logístico de distribuição de doses, seringas e agulhas, com envio das grades para imunização de trabalhadores de saúde de seis hospitais de referência do estado: HCs da Capital e de Ribeirão Preto (USP), HC da Campinas (Unicamp), HC de Botucatu (Unesp), HC de Marília (Famema) e Hospital de Base de São José do Rio Preto (Funfarme).


Mais notícias


Publicidade