Aguarde...

cotidiano

Campinas avança para fase amarela do Plano São Paulo

Toda a região voltou para a fase menos restritiva após melhoras nos indicativos

| ACidadeON Campinas

 

Região avança para fase amarela do Plano SP (Foto: Karen Fontes/Código19)

A região de Campinas vai avançar para a fase amarela do Plano São Paulo de flexibilização da quarentena de combate ao coronavírus. O avanço do DRS (Departamento Regional de Saúde) de Campinas para a fase menos restritiva foi confirmada durante coletiva pelo governador do Estado, João Doria (PSDB), no começo da tarde desta sexta-feira (5).  

Com a volta à fase amarela, bares voltam a funcionar e o horário de funcionamento deles e de e restaurantes fica limitado por até 10 horas diárias. Os bares têm a abertura autorizada até as 20h e restaurantes até as 22h. Em Campinas, a Prefeitura autoriza a permanência de clientes por mais duas horas para término das refeições. 

Já para o comércio de rua e shoppings o funcionamento será de até 12 horas, entre 6h e 22h. Inicialmente a alteração passaria a valer na segunda (8), mas o governo antecipou para este sábado, quando deve ser publicado o decreto estadual.

A última reclassificação, feita no dia 22 de janeiro, colocou a cidade na fase laranja, mais restritiva. A reclassificação ainda colocava todo o Estado em uma fase vermelha noturna e aos fins de semana, mas essa regra foi retirada nesta semana

Antes da mudança para a fase laranja, a região já estava na fase amarela. O retrocesso veio em meio ao aumento da taxa de ocupação de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) para covid-19 e o de novos casos por número de habitantes. No mês passado, os números de casos de covid-19 registraram número recorde em Campinas e no Estado (leia mais aqui)

O AVANÇO 

Segundo as regras do Centro de Contingência do Coronavírus, que determinam os critérios para avanço ou regresso de fases, a região de Campinas teve melhora na maioria dos indicativos, possibilitando uma evolução. O único número que poderia segurar a cidade na fase laranja era o número de ocupações nos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) para covid-19. 

A região permanece hoje com taxa de ocupação nas UTIs em 71,7%, sendo que acima de 70% poderia ficar ainda na fase laranja. 

Entre os demais critérios, no entanto, os indicativos são positivos, e permitiram o avanço para a fase amarela. Segundo os dados obtidos pelo Seade (Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados), o panorama até a manhã de hoje era o seguinte: 

- Número de 345,7 novos casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias: a regra para estar na fase amarela define o número entre 180 e 360; 

- Número de 38,2 novas internações por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias: a regra para estar na fase amarela define o número entre 30 e 60; 

- Número 5,9 novos óbitos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias: a regra para estar na fase amarela define o número entre 3 e 8; 

REGRAS: 

- Eventos com público em pé ainda são proibidos; 

- Ocupação máxima de shopping centers, galerias, comércio e serviços congêneres  é de 40% da capacidade, com horário limitado a 12h diárias entre 6h e 22h;

- Ocupação máxima de restaurantes ou bares para consumo local também é de 40%. O horário de funcionamento será restrito a 10 horas por dia e até as 22h para restaurantes. Para o setor de bares o atendimento é até as 20h;

- Ocupação máxima de salões e barbearias é de 40% da capacidade e o horário de funcionamento limitado em 10 horas por dia;
 
- Ocupação de setores de serviços também fica limitada a 40% da capacidade e o horário restrito a 10h diárias;

- Eventos, convenções e atividades tem capacidade máxima limitada a 40%, o controle de acesso é obrigatório, assim como hora e assentos marcados;

- Academias de esporte de todas as modalidades e centros de ginástica a ocupação máxima é de 40% e funcionamento por 10h diárias entre 6h e 22h;

- Cinemas teatros e museus podem permanecer abertos, com as mesmas regras de funcionamento e prefeituras tendo autonomia para decidirem sobre o funcionamento;

- Aulas são permitidas com até 70% dos estudantes; no caso da rede estadual, as aulas iniciarão com apenas 35% da capacidade durante as duas primeiras semanas de aula, e após o período haverá uma avaliação sobre o aumento de capacidade;


Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON