Aguarde...

cotidiano

Doria anuncia novas medidas restritivas do Plano SP hoje

Coletiva foi adiantada em meio ao aumento de casos de internações em todo o Estado

| ACidadeON Campinas

 

Novo anúncio das medidas será feito hoje (Foto: Governo do Estado de SP)

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciará hoje (24) medidas mais restritivas de combate ao coronavírus no Estado com a intenção de frear o avanço da covid-19. Nesta semana, o Estado atingiu seu maior número de internações em UTI desde o início da pandemia. Campinas também registrou ocupação máxima de leitos para UTI Covid nos sistema público de saúde no último domingo (leia mais aqui)

Segundo o último balanço divulgado ontem pelo Estado, ao todo são 58.199 óbitos e 1.990.554 casos confirmados desde o início da pandemia. Em Campinas são 1.826 mortes e 68.307 casos.   
 
ATUALIZAÇÃO: Doria proíbe circulação de pessoas em todo o Estado entre 23h e 5h

A princípio, as reclassificações acontecem sempre de sexta-feira, mas Doria anunciou o anúncio de medidas mais duras da quarentena para hoje. A coletiva de imprensa acontece a partir das 12h45, no Palácio dos Bandeirantes. 

"Teremos um novo anúncio do Plano São Paulo. O Governo do Estado de São Paulo está preocupado e nós não vamos esperar chegar até uma situação de caos e de incapacidade hospitalar", afirmou Doria, em evento que comemorou o aniversário de 120 anos do Instituto Butantan ontem. 

O Centro de Contingência do Coronavírus fez um lista de recomendações extraordinárias, além das que já constam do Plano São Paulo, para tentar frear a circulação do vírus. As medidas estão sendo analisadas pela gestão que avalia a viabilidade jurídica das ações. 

"São recomendações que, obviamente, vão tratar de redução da mobiliade, redução da movimentação das pessoas e é o que a gente pode fazer nesse momento para reduzir a transmissibilidade", afirmou o secretário-executivo do Centro de Contingência do Coronavírus, João Gabbardo. Ele também adiantou que as novas medidas já começam a valer na próxima sexta-feira (26).  

QUAIS PODEM SER AS MEDIDAS?

Uma das ações que podem ocorrer em todo o Estado é que todas as cidades de São Paulo em bloqueio, entre às 22h e 5h. Em Campinas, uma medida parecida foi tomada pela Prefeitura e passou a vigorar ontem.  

Aqui, foi implantada a fase vermelha noturna, entre 21h e 5h - nesse período apenas o comércio essencial pode funcionar, como supermercados e postos de combustíveis. Já, bares e restaurantes, só podem funcionar no sistema de delivery ou drive-thru nesse período. Antes desse horário Campinas permanece na fase amarela - menos restritiva do Plano São Paulo de flexibilização da quarentena. 

Algumas cidades, por causa do aumento da pandemia e colapso no sistema de saúde, decretaram lockdown para tentar reduzir a transmissão do vírus. Araraquara é um dos municípios que fecharam tudo - incluindo supermercados - para tentar conter a contaminação. Na cidade, 98% dos leitos estão ocupados. Ontem, o município decidiu estender o lockdown total (leia mais aqui).

As medidas que devem ser anunciadas nesta quarta-feira são adicionais ao Plano São Paulo, o programa estadual de reabertura econômica, com os núcleos verde, amarelo, laranja e vermelho, e determinam as regras para o funcionamento de atividades. A classificação é feita de acordo com o número de mortes e mortes, a ocupação de leitos, dentre os outros fatores. Pelo menos quatro regiões do Estado (Presidente Prudente, Barretos, Araraquara / São Carlos e Bauru) estão no alerta máximo. Campinas e a Grande São Paulo estão na fase amarela. 

QUAIS SÃO OS INDICATIVOS? 

Apesar de Campinas enfrentar lotação nos leitos para covid-19, o índice do DRS (Departamento Regional de Saúde) de Campinas, que contém ao todo 42 cidades, têm se mostrado com menor variação, mas ainda acima dos índices da fase amarela- que a região se encontra atualmente.

Hoje, segundo dados retirados do Seade (Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados) a região tem 71,5% de leitos de UTI para covid-19 ocupados. Pela regra, acima de 70% a região pode ser classificada na fase laranja.

Entre os demais critérios, no entanto, os indicativos são positivos, e possíveis de manter a região na fase amarela.  

Veja o panorama atual:

- Número de 301,8 novos casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias: a regra para estar na fase amarela define o número entre 180 e 360;

- Número de 35,5 novas internações por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias: a regra para estar na fase amarela define o número entre 30 e 60;

- Número 6,7 novos óbitos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias: a regra para estar na fase amarela define o número entre 3 e 8;


Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON