Aguarde...

cotidiano

No limite, Campinas busca mais leitos de UTI para covid-19

Leitos devem ser abertos nas próximas duas semanas; nesta semana Campinas chegou a atingir 100% de lotação no SUS municipal

| ACidadeON Campinas

O prefeito Dário Saadi (Republicanos) (Foto: Carlos Bassan/PMC) 

O prefeito de Campinas Dário Saadi (Republicanos) e o presidente da Rede Mário Gatti, Sérgio Bisogni, anunciaram na tarde desta sexta-feira (26), durante live pelas redes sociais, que estão estudando a contratação de novos 18 leitos de UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) e 28 de enfermaria para atendimento de pacientes com covid-19.

Outros 24 leitos de enfermaria também estão em fase de implantação no PS (Pronto Socorro) Metropolitano, o que deve levar mais cerca de 10 a 15 dias.

O aumento do número de leitos é para ajudar a segurar a pressão dos hospitais por causa do aumento de casos da doença na cidade. Nesta semana, Campinas chegou a ter 100% dos leitos SUS municipal ocupados. Os leitos devem funcionar no Hospital Mário Gatti e no PS Metropolitano e devem começar a operar em até duas semanas. Eles também não descartaram a contratação na rede privada.

"Estamos já em processo de recontratação de mais 18 leitos UTIs, provavelmente, nos estamos vendo onde. Nós estamos realocando o Mário Gatti para tentar encaixar esses leitos porque a necessidade está grande. Como abrimos alguns leitos de pronto-socorro onde chamamos de sala verde covid, nós iniciamos com sete leitos e tem dia que tem 14,15 pacientes lá. Então essa pressão está nos levando a ampliar os leitos", afirmou Bisogni que aproveitou para destacar que o Estado precisa ajudar nessa reestruturação.

"Temos um limite de ampliação e isso nos preocupa muito. Se o Estado não nos ajudar abrindo leitos também, vai chegar um momento em que não vai ter mais. Então é o que falo, não é para causar pânico, não estamos em uma situação de pânico, mas estamos em uma situação preocupante. A presença do Estado é importantíssimo para desafogar um pouco", afirmou.  

Segundo o prefeito, os leitos estão sendo abertos junto com o pedido de credenciamento ao Estado, que deve garantir parte do pagamento da implantação, no valor de R$ 1,6 mil, pelo governo estadual. Um leito de UTI adulto custa R$ 2,5 mil e o restante é pago pela Administração municipal.

VOLUME DE ATENDIMENTO

O secretário municipal de Saúde, Lair Zambon, também ressaltou que a rede de saúde está sentindo o aumento no volume de atendimento e de necessidade de internações por covid. "Neste momento estamos precisando muito ampliar leitos de UTI", afirmou.

O prefeito Dário Saadi destacou a busca do município para ampliar os leitos na cidade e a necessidade da colaboração do Governo do Estado. "Prefeitos de todas as cidades da Região Metropolitana de Campinas enviaram um documento ao Estado pedindo a urgente ampliação de leitos de UTI para covid", disse.

Outro ponto fundamental é a consciência de toda a sociedade, que deve manter as medidas sanitárias para auxiliar no combate à transmissão do vírus. "Somente com a ampliação da rede de assistência, aumentar o número de leitos, não será suficiente para conter a pandemia. Faço um apelo para que todos evitem aglomerações e de ir a festas e baladas, usem máscaras e tomem todas as medidas necessárias", ressaltou o prefeito. 

LEIA TAMBÉM 
Devisa investiga morte de estudante de 13 anos por covid em Campinas  
Covid-19: Campinas tem mais 437 casos e chega a 1.862 mortes 
Campinas abre agendamento no sábado para vacinar idosos de 80 a 84 anos

RECLASSIFICAÇÃO


Hoje o governo do Estado reclassificou a região de Campinas na fase laranja do Plano São Paulo de flexibilização da quarentena. Com isso aumentaram os limites de restrição do comércio e serviços (leia mais aqui).


Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON