cotidiano

Especial coronavirus

Campinas coloca PM e GM para cumprimento do toque de recolher a partir das 20h

Medida será das 20h às 5h a partir de quinta-feira (18) e pessoas que estiverem na rua após horário serão abordadas pelas forças de segurança

| ACidadeON Campinas -

O prefeito Dário Saadi (Foto: Denny Cesare/Código19)   


O prefeito de Campinas, Dário Saadi (Republicanos), anunciou na tarde desta terça-feira (16) medidas ainda mais restritivas de combate à pandemia de coronavírus em Campinas. Entre elas está o toque de recolher a partir das 20h até as 5h com a fiscalização maior da PM (Polícia Militar) e GM (Guarda Municipal), que abordará a população na rua durante o período. A medida passa a valer a partir de quinta-feira, dia 18 e seguem até o dia 30 de março.

O "aperto" na quarentena de covid-19 ocorreu no terceiro dia de fase emergencial do Plano São Paulo de flexibilização da quarentena em vigor na cidade, em meio ao colapso da rede pública. Hoje, o SUS municipal continua com 100% de ocupação nos leitos exclusivos para a doença (leia mais aqui).

Para implementar a nova restrição, a Prefeitura solicitou ao CPI-2 (Comando de Policiamento do Interior), de Campinas, apoio da PM (Polícia Militar) para fiscalização noturna. A ideia é fazer uma ação preventiva em um primeiro momento, para orientar as pessoas na rua e evitar a circulação. Caso isso não funcione, a Administração pretende partir para medidas mais punitivas como a implantação do lockdown.

"As ações ocorrerão em pontos estratégicos da cidade, a partir de dados de inteligência, através das câmeras de monitoramento e leitores de placas de veículos. A gente consegue assim verificar quantidade de veículos por pontos e fazer ações. Haverá bloqueios e orientação para que a pessoa retorne ao seu domicílio para qualquer outra atividade que não foi essencial naquele momento", explicou o secretário de Cooperação nos Assuntos de Segurança Pública, Christiano Biggi.   

Outra medida anunciada hoje é o fechamento de supermercados, mercados e lojas de conveniência a partir das 20h. O serviço do tipo drive-thru também deverá ser encerrado nesse horários em todos os setores, inclusive no de alimentos. Porém, os serviços de delivery podem continuar (leia mais aqui). 

O prefeito afirmou ainda que avalia um lockdown, porém, ele entende que deve ser regional atrelado a cidades da região de Campinas. Hoje ele fez uma reunião com outros prefeitos da RMC (Região Metropolitana de Campinas) e essa decisão será tomada até a próxima sexta-feira (leia mais abaixo). "Ainda estamos avaliando devido a tudo que essa medida mais restritiva implica", disse o prefeito.
 
"Isso o que estamos endurecendo ainda não é o lockdown. O lockdown é praticamente autorizar somente os serviços de saúde e alimentação. E há total restrição na circulação das pessoas, o que vimos em países da Europa", disse o secretário de Justiça, Peter Panutto.  
 
Outra dificuldade apontada pelo prefeito para um lockdown está relacionada ao transporte público. Com a medida de confinamento nem os ônibus podem circular e hoje existe uma demanda grande de profissionais da saúde que utilizam o transporte coletivo para irem aos seus postos de trabalho. Ele também apontou que muitos idosos que estão se vacinando usam o transporte coletivo para irem até os postos de vacinação. Dário também adiantou que não irá reduzir a circulação dos ônibus com o toque de recolher. Mas deve avaliar a circulação dos coletivos entre 23h e meia-noite.  

FESTAS E MULTAS

Em relação às festas, o secretário afirmou que houve uma mudança na cobrança também. Os estabelecimentos que descumprirem as medidas adotadas pelo município serão penalizados com multa de 800 UFICs, ou R$ 3.030,88 (o dobro do valor cobrado hoje, que é de 400 UFICS, R$ 1.515,44). O estabelecimento será lacrado e o responsável será levado à delegacia por descumprimento ao artigo 268 do Código Penal.

Com relação às festas clandestinas, a multa será de R$ 6.061,76 (1.600 UFICs). O organizador do evento, o locador e o proprietário do imóvel, além da multa, também serão levados à delegacia em desrespeito ao artigo 268 do Código Penal.

As penalidades valem, também, para festas familiares com mais de dez pessoas. Neste caso, a multa será de 800 UFICs (R$ 3.030,88) e o proprietário também será levado à delegacia por descumprimento ao artigo 268 do Código Penal.

Panutto afirmou ainda que as restrições adicionais da fase emergencial serão mantidas, onde foram proibidas atividades de cultos religiosos, o acesso ao paço municipal, além do fechamento de parques públicos. As medidas anunciadas hoje 

NO HC

No HC (Hospital de Clínicas) da Unicamp, a situação é grave há uma semana e hoje a instituição anunciou mais 24 horas de suspensão do atendimento no PS (Pronto-Socorro). As cirurgias eletivas estão suspensas até o dia 26.

Na rede municipal e privada, as cirurgias eletivas também estão suspensas por determinação do Executivo e o prefeito propôs nesta quarta um lockdown regional para a RMC (Região Metropolitana de Campinas) (leia mais abaixo).

LOCKDOWN


Na manhã de hoje, Dário se reuniu com prefeitos da RMC (Região Metropolitana de Campinas) e propôs a adoção de medidas mais restritivas contra a covid-19, incluindo o lockdown em todas as cidades da região.

Segundo a Prefeitura de Campinas, a maioria dos prefeitos aceitou discutir a possibilidade, porém, optou por avaliar e esperar mais dois dias os efeitos da atual fase emergencial do Plano São Paulo, iniciada ontem e que restringe a circulação de pessoas, principalmente no período noturno (Leia aqui).

Sobre a situação, Dário disse que será preciso reavaliar o lockdown porque ele prevê a suspensão do transporte coletivo. "Temos profissionais de saúde que usam o ônibus e também a vacinação contra a covid-19 está ocorrendo. Muitas pessoas usam o coletivo", disse ele.

Apesar disso, o prefeito afirmou que não descarta o lockdown e que na sexta-feira (19) pela manhã haverá nova reunião com os prefeitos para analisar qual medida deverá ser tomada.

Publicidade