Aguarde...

cotidiano

Casamentos registrados em Campinas diminuem 92% em pandemia de covid

Número caiu na comparação entre março deste ano e 2020, segundo dados dos cartórios; apesar disso, casais ainda optam por casamento civil

| ACidadeON Campinas

Michael Alberto e Larissa se casaram em março somente no civil (Foto: Arquivo Pessoal)

O número de casamentos registrados em cartórios de Campinas caiu 92% no comparativo entre março de 2020 e o mesmo mês deste ano. No último mês - considerado o mais letal do coronavírus na cidade - foram 464 registros de casamentos. Já no mesmo período do ano passado mês que registrou o primeiro caso de coronavírus na cidade - foram 5.686.   
 
Os dados são do Portal da Transparência da Arpen (Associação de Registradores de Pessoas Naturais) Brasil. O número baixo deste ano é explicado tanto pelo agravamento da pandemia quanto pelo fechamento de setores considerados não essenciais, nas fases vermelha e emergencial, que afetou em cheio cerimônias e eventos, por exemplo.

Segundo a cerimonialista Maria Luísa, de Campinas, neste ano ela realizou apenas um casamento, em janeiro. O restante foi adiado devido a pandemia.   

Em junho, um casal manteve a data da celebração, com cerimônia para 250 pessoas. "A noiva ainda não quis mudar a data e disse que se for preciso fará um 'mini wedding'. Mas eu estou adiando casamentos desde o começo da pandemia", disse ela.

NO CIVIL

Apesar disso, os casamentos em cartórios ainda representaram para os noivos uma possibilidade de manter a vontade da união. "Era para ser uma festa com salão, buffet, cerimonialista. Tudo que se tem direito em uma festa, seria realizada na nossa. Mas ainda não aconteceu. Aí resolvemos celebrar o casamento no civil. Penso que esperamos muito para casar. Conversei com meu noivo, agora marido, e falei que não podíamos mais esperar. Era uma vontade nossa, de estar junto, de ir para nosso lar. Ter a nossa a vida a dois", disse a bacharela em direito Larissa Rocha de Lima Grobmann, de 28 anos.

Ela contou que os preparativos para a cerimônia começaram em 2019, com a data era prevista para outubro de 2020. "A incerteza e os sentimentos de 'e agora, será que vai dar certo', além de várias pessoas no mesmo local e a situação do país fez com que a gente remarcasse para março deste ano. Mas nós não podíamos adiar nossa união", disse.

Para o casal, ter realizado a cerimônia no civil foi a melhor decisão que eles tomaram. "Olhando hoje, não temos dúvidas que foi a melhor decisão. E tirar um pouco do peso da ansiedade, do nervosismo referente ao casamento. O mais importante está realizado, que é o nosso casamento", disse.

FORMA DE CELEBRAR

Para o celebrante de paz Danilo Sandes, o momento realmente mudou a forma de celebrar, mas não o significado do casamento entre duas pessoas. Ele contou que somente em março realizou oito casamentos no civil em Campinas.   

"Muitos casais já estavam habilitado pelo cartório e acabaram optando por manter isso, para não ter que fazer tudo novamente. E os casamentos foram em residências, para deixar uma mensagem", disse.

Ele contou ainda que o significado de realizar esses casamentos em uma pandemia mostra que o casamento se trata de celebrar a união, respeito, amizade e carinho entre duas pessoas. "Isso é o mais importante, mostra que o casal tem um ao outro em momentos difíceis", finalizou.


Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON