Aguarde...

cotidiano

Após volta presencial, funcionária de escola é afastada por suspeita de covid em Campinas

Caso ocorreu em escola municipal da região Sul e servente de limpeza está afastada por cinco dias até resultado do exame

| ACidadeON Campinas

Volta às aulas presencias na rede de Campinas ocorreu na segunda-feira (26) (Foto: Carlos Bassan/PMC) 

Após a volta presencial na rede municipal de ensino na segunda-feira (26), uma servente de limpeza foi afastada por suspeita de covid-19 em Campinas. Segundo a Secretaria de Educação, o caso ocorreu na terça-feira (27) em uma escola da região Sul e a funcionária está afastada por cinco dias até o resultado do exame para confirmar ou não o diagnóstico.

A servente, contratada por uma empresa terceirizada de limpeza, chegou na escola com estado febril e, por isso, não entrou na unidade. Ela realizou o teste nesse mesmo dia e está bem. No dia anterior, a pasta informou que ela trabalhou na escola, mas não teria tido contato com os alunos.

A Secretaria não informou o nome da servente, idade ou a escola onde ela trabalha. Ainda segundo a Prefeitura, a funcionária não havia tomada a vacina contra a covid-19 pois tem menos de 47 anos - idade mínima para a vacinação contra o coronavírus em profissionais de educação.

A volta às aulas presenciais na rede municipal de Campinas ocorreu 1 ano e um mês depois do início da pandemia de covid. No total, estão matriculados 24.585 estudantes no Ensino Fundamental, Fumec e Ceprocamp - a autorização é que as escolas reabram com 35% da capacidade de ocupação.

As redes particular e estadual retomaram as aulas na semana passada. Já as creches e o ensino infantil retornam as aulas presenciais na semana que vem, no dia 3 de maio. O retorno na rede é em formato de revezamento de turmas e deve seguir os protocolos sanitários contra o coronavírus.

O SINDICATO

Nesta quinta-feira (29), o STMC (Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público Municipal de Campinas) informou que também acompanha um caso de afastamento por suspeita de covid-19 de uma trabalhadora da educação na região Sul. No entanto, o Sindicato não confirmou se é o mesmo acompanhado pela Prefeitura.

Em nota oficial, o STMC disse que o caso "expõe a irresponsabilidade da Prefeitura de Campinas da retomada das aulas no meio da pandemia, sem a vacinação (primeira e segunda doses) de todos os trabalhadores e a testagem em massa".

VACINAÇÃO

Segundo levantamento realizado pela Prefeitura, Campinas vacinou 6.851 profissionais da Educação com idade acima de 47 anos até o dia 26 de abril. A vacinação para esse grupo começou no dia 12 deste mês, após o governo estadual incluir professores e servidores da educação na campanha de imunização.

Dos 6,8 mil vacinados, constam profissionais da rede municipal, estadual e privada, sendo que números separados por setores ainda não foram divulgados.

Só na rede municipal, Campinas conta com 5.066 profissionais, sendo que 44,6% estão na idade de ser vacinado neste primeiro momento 2.261. O total de profissionais a serem vacinados na rede estadual e privada ainda não foi divulgado.


Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON