cotidiano

Especial coronavirus

Doria recua em SP e adia flexibilização; fase atual segue até 14 de junho

Governo estadual manteve atual fase, com horário de funcionamento de comércio e serviços até 21h e 40% de ocupação, devido aos indicadores da pandemia de covid-19

| ACidadeON Campinas -

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB) (Foto: Governo do Estado de São Paulo) 

O governo estadual de São Paulo prorrogou nesta quarta-feira (26) a fase de transição do Plano SP para todas as regiões paulistas, incluindo a de Campinas (veja regras abaixo). Com isso, suspendeu a flexibilização maior das medidas restritivas, que estava prevista para ter início no mês de junho, a partir da próxima terça-feira (1º). O motivo foi o aumento de casos de covid-19 registrado nas últimas semanas.

Segundo o governador João Doria (PSDB), serão mantidos os critérios de flexibilização atuais, entre eles horário de funcionamento  de comércios e serviços até 21h e capacidade de ocupação dos estabelecimentos comerciais de até 40%. 

"A prorrogação é exatamente nos moldes que vêm operando no momento. O horário será até 21h e operação de 40%, seja de restaurantes e comércios. A nossa recomendação é por conta dos indicadores da pandemia que pedem cautela neste momento", disse Doria.

Na quarta-feira passada (19), o governo de São Paulo havia prorrogado esta fase de transição até o dia 31, indicando uma nova fase a partir do dia 1º de junho, que possibilitaria flexibilizar o horário de funcionamento dos estabelecimentos até às 22h e com 60% da capacidade de clientes. No entanto, o aumento de casos e internações preocuparam os gestores de saúde.

"Esse modelo atual é por conta do momento que requer cautela. E precisamos, de fato, cumprir esses protocolos, e respeitar o toque de recolher. É um pedido específico do Centro de Contingência", disse a secretária de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen. 
 
ALERTA EM CAMPINAS

Em Campinas, a Prefeitura emitiu ontem (25) um alerta sobre a situação epidemiológica da cidade. De acordo com a Administração, os CSs (Centros de Saúde) da cidade registraram um crescimento de 32% no atendimento de pessoas com sintomas respiratórios nas últimas cinco semanas. Caso o número piore, medidas restritivas podem ser adotadas, afirmou a Administração.

Também ontem Campinas estava sem leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) exclusivos para pacientes com covid-19 na rede pública pelo segundo dia seguido. Havia apenas uma vaga, mas ela é exclusiva para gestantes. 

AUMENTO DE CASOS  

Segundo o Controle de Doenças da Secretária Estadual de Saúde, houve aumento de casos de covid-19 na última semana no estado. Por isso, a prorrogação da fase de transição - criada em abril e intermediária entre a fase emergencial e a vermelha do Plano SP.
 
"A atitude mais prudente no momento é caminhar com segurança. Não seria ainda o momento de poder avançar, como havia sido pensado na semana anterior. Houve aumento na incidência de casos (de covid). Semana passada tínhamos 370 casos por cada 100 mil. Hoje são 412 casos para cada 100 mil. Já o aumento de internações é mais discreto, felizmente", disse o coordenador do Controle de Doenças da Secretária Estadual de Saúde, Paulo Menezes.

Segundo ele, as projeções indicam que a partir da segunda quinzena de junho e início de julho, haverá melhora progressiva nos indicadores principais. "A avaliação é que devemos continuar caminhando com seriedade e segurança", afirmou.

REGRAS DA FASE DE TRANSIÇÃO ATÉ 14 DE JUNHO


- Horário de funcionamento das 6h às 21h;

- Comércio e restaurantes com capacidade de até 40%;

- Toque de recolher das 21h às 5h.

Mais notícias


Publicidade