Aguarde...

cotidiano

Venda de oxímetro dispara na pandemia; veja como usar corretamente o aparelho

Aparelho tem sido buscado por famílias para medir saturação de oxigênio; levantamento mostra aumento de 300% em vendas

| ACidadeON Campinas

Oxímetro (Foto: Denny Cesare/Código19) 

O aumento de casos de covid-19 disparou a venda de oxímetros no país e, com isso, a comunidade médica está em alerta para orientar os pacientes do uso correto do aparelho. O equipamento mostra quanto de oxigênio circula pelo nosso sangue e, em casos graves de coronavírus, o número pode baixar e causar preocupação - a orientação é que o paciente deve procurar atendimento hospitalar.

Com isso, o aparelho tem sido buscado por famílias para monitorar a saturação de oxigênio no sangue de pessoas que estão infectadas com o coronavirus. Segundo especialistas, o normal é que a saturação fique acima de 94%.
Um levantamento feito nesta semana por duas grandes redes farmacêuticas de São Paulo mostrou um aumento de quase 300% nas vendas no começo deste ano.

A advogada Isabella Partelini comprou um aparelho para a família por conta da pandemia. "Sempre que tínhamos contato com alguém suspeito, nós monitorávamos a saturação do oxigênio três vezes ao dia. Ficávamos aliviados ao ver que o índice estava dentro dos padrões esperados", disse.

Segundo o farmacêutico Tiago Luque, antes da pandemia as vendas de oxímetro eram quase nulas, mas agora o estoque não pode ficar sem o equipamento. "Antes, o paciente vinha com uma prescrição médica e indicávamos um local que vendia produtos hospitalares. Hoje o quadro mudou e os oxímetros são essenciais por conta da procura. E se não temos ele na farmácia, perdemos a venda".

A procura também aumentou valor do produto, que antes custava cerca de R$ 80 e atualmente é vendido acima de R$ 100.

ORIENTAÇÃO

A comunidade médica reforça que o aparelho pode ser usado em casa, mas é necessário que um profissional de saúde seja avisado sobre qualquer mudança no número de oxigenação.

"O aparelho dá a informação da saturação de oxigênio, que é quanto oxigênio tem, e a frequência cardíaca. O normal, habitualmente, é acima de 94% de saturação. Se tiver covid, acima de 92% é tranquilo, dá para permanecer em casa. Abaixo disso precisa de uma avaliação médica", explicou o infectologista Valdes Bolela do HC (Hospital de Clínicas) de Ribeirão Preto.

Ele afirmou ainda que a queda na saturação geralmente ocorre na segunda semana de infecção do coronavírus. "Quando confirmar a covid, precisa medir a saturação durante as duas primeiras semanas, sendo de manhã, tarde e noite. Uma vez a cada período, é o suficiente", orientou.

O médico explicou ainda que em casos de falta de ar é importante fazer a medição. "Normalmente, o que pode acontecer é a pessoa ir tomar banho e se sentir cansada, ou ir lavar louça e se sentir mal. Nesse momento, é bom medir a saturação. É um dado que pode salvar vidas. Se detecta precocemente a queda na saturação, a pessoa recebe o tratamento, que é oxigênio".
  (Com informações da EPTV)



Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON