Especial Covid-19

Especial coronavirus

Campinas converte leitos covid da Rede Mário Gatti para atendimento geral

Dos atuais 163 leitos de enfermaria, a rede passará a ter 213

| ACidadeON Campinas -


Hospital Ouro Verde, de Campinas (Foto: Carlos Bassan/PMC)

A Prefeitura de Campinas anunciou a conversão de leitos exclusivos para a covid-19 para atendimento a pacientes com outras doenças na Rede Mário Gatti. A conversão vai começar a partir desta terça-feira (31) e permite a retomada de cirurgias eletivas.

Segundo secretaria de Saúde, a medida foi tomada devido a  melhora nos números de internações de pacientes infectados por covid-19 em unidades de terapia intensiva e enfermarias. O anúncio foi feito ontem (30).

De acordo com a Pasta, a Rede tem atualmente 90 leitos de UTI e 130 de enfermarias para pacientes com covid. Com a reestruturação, disponibilizará de 60 leitos de UTI nos hospitais Ouro Verde e Mário-Gatti Amoreiras (antigo Hospital Metropolitano, que continuará exclusivo para covid). 

Haverá também 86 leitos de enfermaria nos hospitais Ouro Verde, Mário Gatti Amoreiras e Unidade de Pronto Atendimento Carlos Lourenço.

Em contrapartida, a Prefeitura dará um reforço importante de leitos de enfermaria para pacientes não covid dos atuais 163 passará para 213, sendo 114 no Mário Gatti e 99 no Ouro Verde. 

"São leitos gerais que já eram leitos gerais, não covid e foram transformados em não covid, ou áreas ambulatoriais que foram transformadas em leitos. Esses leitos serão agora reconvertidos para leitos gerais e não vão causar desassitência aos pacientes com covid porque na Rede Mário Gatti está garantida com quantidade suficiente de leitos exclusivos para covid, tanto na enfermaria como na UTI", disse Carlos Arca, diretor do Mário Gatti.

CIRURGIAS ELETIVAS  

A medida, segundo o presidente da Rede Mário Gatti, Sergio Bisogni, garante uma margem de segurança na disponibilidade de leitos covid e permite a retomada de cirurgias eletivas.  

"O acompanhamento diário dos números da pandemia balizará a reversão dos leitos de forma a evitar desassistência, na possibilidade de recrudescimento da situação", afirmou. 

COMO VAI FUNCIONAR

Amanhã, dia 31 de agosto, o Hospital Ouro Verde desativará 28 leitos de enfermaria covid que estavam estruturados como hospital de campanha. No local será implantado um setor para retomada das consultas de reabilitação, com fisioterapia, fonoterapia, terapia ocupacional e psicologia. Ainda não há data para o início do serviço de reabilitação.

No dia 2 de setembro, a expectativa é começar a reverter 20 leitos de enfermaria covid no Hospital Ouro Verde para receber pacientes clínicos. Para atendimento a pacientes com covid, o Ouro Verde ficará com 45 leitos de UTI, 28 de enfermaria e seis de suporte respiratório (usado para pacientes que eventualmente aguardam transferência para leito de enfermaria ou de UTI).

No dia 9 de setembro, o Hospital Mário Gatti deixa de receber pacientes com covid. Os 30 leitos de UTI para pacientes graves infectados pelo coronavírus serão desativados e, no local, instalados 30 leitos de enfermaria geral. 

O hospital terá também seis leitos de suporte respiratório na sala verde, área destinada à permanência de pacientes não críticos, para observação de suspeitos ou confirmados com covid. 

"A conversão vai ocorrer de forma gradativa e progressiva. Alguns pacientes estão recebendo alta e outros serão transferidos, se necessário, para outras unidades que permaneerão para covid, como Mário-Gatti Amoreiras, hospital Ouro Verde que manteve grande quantidade de leitos covid, e UPA Carlos Lourenço que tem grande estrutura para enfermaria covid", disse Arca.

Mais notícias


Publicidade