cotidiano

Especial coronavirus

Prefeito de Campinas testa positivo para a covid-19

Dário Saadi já tinha suspendido a agenda política após apresentar sintomas gripais

| ACidadeON Campinas -

Prefeito de Campinas testou positivo para a covid-19 (Foto: Manoel de Brito/PMC)

A Prefeitura de Campinas informou na manhã desta terça-feira (21) que o prefeito Dário Saadi (Republicanos), testou positivo para a covid-19. 

Ontem, a Administração tinha informado que Dário apresentava sintomas gripais, e por isso suspendeu a agenda pública. Em nota, a Prefeitura diz que o prefeito fez um exame PCR, que teve resultado positivo para a doença.  

LEIA TAMBÉM  
Refis: Prefeitura abre agendamento para quem vai negociar débitos 
Johnson diz que dose adicional da vacina aumenta proteção 

"O prefeito, que já havia tomado as duas doses da vacina, tem sintomas leves, passa bem e ficará isolado em sua residência até o próximo domingo (26), após cumprir o período de 10 dias dos primeiros sinais, que se manifestaram na última sexta-feira", disse a Administração. Durante o período, o prefeito seguirá trabalhando remotamente, acrescentou. 

CIRCULAÇÃO 

Na última sexta-feira, o prefeito acompanhou a vinda do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), durante o lançamento oficial do programa Retoma SP em Campinas. Durante a manhã Dário esteve na Expo Dom Pedro, e durante à tarde no Largo do Rosário, no Centro. 

Durante a tarde, Dário também se reuniu com secretários e imprensa em uma entrevista coletiva. Segundo a Prefeitura, no evento de manhã o prefeito chegou a passar mal.

Questionada, a Saúde disse que que o Devisa (Departamento de Vigilância em Saúde) vai monitorar todas as pessoas que tiveram contato próximo com o prefeito Dário Saadi entre quarta e sexta-feira da semana passada, dias que antecederam os primeiros sintomas apresentados. 

"É considerado contactante quem teve contato próximo por mais de 15 minutos, a menos de 1 metro de distância e sem máscara. Como o prefeito Dário Saadi e o governador João Dória mantiveram todos os protocolos, o governador não é considerado contactante, nem precisa ser monitorado, investigado ou notificado", explicou. 

Mais notícias


Publicidade