cotidiano

Especial coronavirus

Gripe e covid: HC da Unicamp tem 561 profissionais afastados

Afastamentos ocorrem em meio a superlotação do pronto-socorro, que está com 150% de capacidade

| ACidadeON Campinas -

HC continua sendo referência no atendimento (Foto: Denny Cesare/Código19)
 

*Matéria atualizada às 19h43 do dia 25 de janeiro de 2022 
 
O HC (Hospital de Clínicas) da Unicamp, em Campinas, registrou do dia 1º de janeiro até hoje (25) 561 profissionais afastados por síndromes gripais e covid-19. Só hoje, segundo a assessoria, são 122 afastados somente na área de enfermagem.

O balanço com número de profissionais afastados foi divulgado nesta terça-feira a pedido do acidade on. Ao todo, segundo o HC, a unidade de saúde conta com cerca de 3 mil trabalhadores, divididos em diversas áreas. 

No período de 25 dias, foram 381 funcionários concursados afastados. Já entre os contratados pela Funcamp (Fundação de Desenvolvimento da Unicamp) e que também atuam no hospital, foram cerca de 180 afastados. 

A projeção é que aproximadamente 18% dos trabalhadores esteja afastado. 

O detalhamentos dos afastados por categoria não foi informado pelo HC. No entanto, de acordo com assessoria do local, o maior desfalque atualmente é registrado no setor de enfermagem.

O aumento em afastamentos coincide com a superlotação de pacientes no hospital. Só hoje no Pronto-Socorro, a lotação é de cerca de 150% segundo a administração. As enfermarias e UTIs (Unidades de Terapia Intensiva), estão 100% lotadas, sem leitos livres.

SOLICITAÇÃO AO ESTADO

Por conta da situação registrada no atendimento, o Hospital de Clínicas informou que solicitou ao governo do estado mais 10 leitos UTI e 36 de enfermaria, assim como o custeio de recursos humanso, insumos e medicamentos.

A secretaria estadual de Saúde foi procurada pela reportagem para se posicionar sobre o pedido e enviou nota dizendo que "segue acompanhando o cenário e mantém diálogo com gestores regionais para análises técnicas e definição das estratégias assistenciais".  

"Durante o acompanhamento, pode haver ampliação de leitos. O município de Campinas conta, hoje, com 460 leitos dedicados à covid-19, sendo 417 UTI e 43 enfermaria. A ativação de novos leitos não é prerrogativa exclusiva do Estado, mas também da União e das Prefeituras", disse o comunicado. 

AUMENTO

O aumento no número de pacientes nas unidades de saúde é registrado em todos os hospitais da cidade. Ontem, a Prefeitura de Campinas informou que dos 29 leitos de UTI exclusivos para pacientes com SRAG (Síndromes Respiratórias Agudas Graves) municipais, 28 estavam ocupados, com apenas 1 leito livre.

Por causa da lotação, a Prefeitura anunciou nesse mês a contratação de mais 44 leitos e também abriu processo emergencial para contratação de 163 profissionais para a rede Mário Gatti.

Mais notícias


Publicidade