Aguarde...

ACidadeON

Voltar

cotidiano

PM cumpre reintegração de posse em prédio no Centro

O local abriga moradores sem teto desde 2012 e a estimativa é que 30 famílias vivem hoje no edifício. Até o momento a reintegração é pacífica

| ACidadeON Campinas

Reintegração aconteceu na manhã de hoje em Campinas. Foto: Denny Cesare/Código 19

A Polícia Militar fez na manhã de hoje (17) a reintegração de posse de um prédio localizado na Rua Irmã Serafina, em frente a Praça Carlos Gomes, na área central. O local abrigava moradores sem teto desde 2012 e a estimativa é que mais de 30 famílias vivem hoje no edifício. O prédio possui 18 andares e está abandonado há alguns anos.  

O prédio é composto por um estacionamento que funciona normalmente no local e também por apartamentos residenciais, com entrada pela Rua Coronel Rodovalho.  

Um grande efetivo de policiais militares está desde cedo no local para remover as famílias, muitas compostas por crianças e bebês. O Corpo de Bombeiros também participa da ação.    



 

 

O prédio é particular e neste ano houve uma invasão em massa no local, que gerou muita reclamação de vizinhos.
Por causa da reintegração, uma faixa da Rua Irmã Serafina foi bloqueada para o trânsito, perto do cruzamento com a Avenida Moraes Salles. O bloqueio causou reflexo no trânsito do entorno durante toda a manhã. A polícia entrou no imóvel para conversar com o pessoal que mora ali e a desocupação foi tranquila.   
 
A AÇÃO

Apoiaram a ação da PM, dois oficiais de Justiça, técnicos da Sehab (Secretaria Municipal de Habitação), Secretaria de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos, Conselho Tutelar, Bombeiros, Guarda Municipal, Unidade de Vigilância em Zoonoses, Emdec, Sanasa e CPFL.

Para o coordenador especial da Habitação Popular, Edison Cunha, as famílias nunca deixaram receber atenção do poder público. "Há alguns meses nós recebemos as famílias na Sehab porque eles reivindicavam a ligação de água. Chegamos a intermediar esta solicitação junto à Sanasa mas o pedido de reintegração de posse inviabilizou este pedido dos ocupantes. Sugerimos às pessoas que fizessem um cadastro na Cohab-Campinas para que possam participar dos programas habitacionais mas nem todas se cadastraram. Destacamos ainda que a cidade é monitorada 24 horas por dia por meio das ações do Grupo de Contenção de Ocupações, Parcelamento Clandestino e Danos Ambientais. Fazem parte desta força tarefa as secretarias do Verde, Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Serviços Públicos, Defesa Civil e Guarda Municipal", explicou. 

Técnicos da Secretaria de Assistência Social e Habitação já haviam visitado o local, onde registraram a presença de 36 famílias. As pessoas foram identificadas e foi verificada a possibilidade de inseri-las em programas sociais vigentes.

Como parte da operação, todos os ocupantes foram orientados sendo que os proprietários disponibilizaram 10 caminhões para que as mudanças fossem levadas para as residências apontadas pelos moradores, prova de que eles têm onde ficar.

O prédio, que está abandonado há alguns anos, é propriedade particular e vinha sendo ocupado irregularmente por 36 famílias. Notificado pela Secretaria de Habitação, os proprietários solicitaram a reintegração de posse. A operação que foi desencadeada nesta manhã pela PM identificou no local apenas 15 famílias. O proprietário havia sido notificado pela Sehab sobre a invasão do imóvel. 


MAIS GENTE NESTE ANO

No começo deste ano mais famílias foram morar no local. Eles alegaram que a Prefeitura teria feito a promessa em conseguir moradias para o grupo, o que não aconteceu e eles resolveram se mudar para lá. Os apartamentos residenciais ficam nos andares mais altos do prédio, que não conta com elevador.  


 


Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ACidade ON. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. ACidade ON poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."

Facebook

Mais do ACidade ON