Aguarde...

ACidadeON Campinas

Campinas
mín. 20ºC máx. 36ºC

cotidiano

Justiça cassa vereador por apoio do PCC

Membros da facção anunciavam o apoio da organização criminosa ao candidato

| Agência Estado

Manoel Filhos da Fruta (PCdoB), de Paulínia, teve o mandato cassado. (Foto: Divulgação) 

A Justiça Eleitoral atendeu ao pedido do Ministério Público de São Paulo e determinou a cassação do mandato do vereador Manoel Barbosa de Souza, o Manoel Filhos da Fruta, de Paulínia, por captação ilícita de recursos com fins eleitorais. O juiz da 323.ª Zona Eleitoral considerou que provas constantes na ação ajuizada pela promotora de Justiça Fernanda Elias de Carvalho Lucci deixam claro que Manoel Filhos da Fruta mantinha ligações próximas com pessoas comprovadamente vinculadas à organização criminosa Primeiro Comando da Capital.  

Segundo o Ministério Público, a partir de documentos obtidos e compartilhados pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), contando inclusive com áudios e cruzamento de dados de ligações telefônicas realizados em investigação criminal sobre atividades desenvolvidas pelo PCC na região de Campinas, foi apurado que diversos membros da facção anunciavam o apoio da organização criminosa à candidatura de Souza.  

"Foi comprovada não apenas a entrega de valores em espécie, e não contabilizados, para a campanha e para compra de votos, mas também o uso compartilhado de veículo da organização criminosa em carreata", assinala a Promotoria. "Além disso, foram disponibilizadas pessoas que deveriam auxiliar em ações eleitorais realizadas na cidade de Paulínia." As investigações apontaram ainda que Manoel Filhos da Fruta comemorou sua eleição para a Câmara com festa realizada numa chácara com a presença de membros do PCC.  

Nas alegações finais da ação, o promotor de Justiça André Perche Lucke sustentou, entre outros pontos, que a eleição do vereador se deu com apoio fundamental do PCC, que contribuiu para sua campanha eleitoral, com estratagemas como compra de votos em favor do candidato, apoio material não declarado em prestação, apoio moral e propaganda em seu favor, com adesivos partidários em veículos utilizados pelos membros do PCC.

"Ocorreu, portanto, captação ilícita de recursos pelo candidato, de forma gravíssima, a ponto de macular a sua conquista, diplomação, posse e mandato eletivo", sustenta o Ministério Público.

OUTRO LADO 

Por meio de sua assessoria, o vereador Manoel Barbosa de Souza, o Manoel Filhos da Fruta, do PC do B, negou enfaticamente ligação com o PCC ou seus integrantes. Manoel alega que é proprietário de um bar e lanchonete, que nada desabona sua conduta e que nunca houve envolvimento com a facção.  

A assessoria de Manoel destaca que ele não conhece a maioria dos nomes citados em interceptações telefônicas e que já está recorrendo da sentença que cassou seu mandato.

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ACidade ON. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. ACidade ON poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."

Facebook

Veja também