Publicidade

cotidiano

Com mais dúvidas que certezas, morte de Toninho faz 17 anos

Toninho foi assassinado no final da noite de 10 de setembro de 2001, na Avenida Mackenzie, próximo ao Shopping Iguatemi

| ACidadeON Campinas -

Toninho foi assassinado na noite de 10 de setembro de 2001 (Foto: Reprodução/EPTV) 

O assassinato do prefeito de Campinas Antônio da Costa Santos, o Toninho, completou 17 anos nesta segunda-feira (10). Como já é tradição, em ano eleitoral nenhum grande ato ou homenagem é realizado para que candidatos não utilizem o trágico evento como palanque político.

Toninho foi assassinado no final da noite de 10 de setembro de 2001, na Avenida Mackenzie, próximo ao Shopping Iguatemi.

O prefeito saiu da prefeitura naquela noite e foi até o Shopping Iguatemi, pouco antes das 22h. Pouco tempo depois, a notícia que Toninho havia sido baleado e estava morto foi espalhada pelos veículos de comunicação da cidade.

A investigação da Polícia Civil indicou que ele teria sido morto por razões banais, após ter atrapalhado a passagem de um carro com criminosos em fuga pela Avenida Mackenzie.

O traficante e sequestrador Wanderson Nilton de Paula Lima, o Andinho, chegou a ser acusado formalmente pelo crime, mas a Justiça entendeu que não havia indícios que o incriminassem e determinou que a Polícia Civil retomasse as investigações em 2011.

ÚLTIMO ATO

Naquela noite, o último trabalho de Toninho foi o discurso no ato solene do Movimento Negro, no Salão Vermelho da prefeitura. Neste, ele assinou seu último decreto, oficializando o dia 20 de novembro como feriado do Dia da Consciência Negra, dedicado a Zumbi dos Palmares.

Atualmente, o inquérito está com a Polícia Civil de Campinas, no SHPP (Setor de Homicídio e Proteção à Pessoa).  



HOMENAGENS

Uma cruz azul marca o local onde o prefeito Antônio da Costa Santos foi assassinado, às margens da avenida Mackenzie. Até março de 2016, ela ficava no local onde o carro parou após o prefeito ser baleado. Depois foi retirada e colocada no canteiro central.

Há também uma escultura que mostra Toninho com uma pipa ao lado de uma criança. Essa pipa se tornou símbolo de sua campanha de 2000, quando foi eleito prefeito.

Essa pipa foi confeccionada por uma criança, e Toninho a empinou do alto do prédio do Palácio dos Jequitibás junto com o menino que a confeccionou para comemorar a vitória.  


Mais notícias


Publicidade