Aguarde...

ACidadeON Campinas

Campinas
mín. 20ºC máx. 36ºC

cotidiano

Construção civil da RMC começa o ano com alta de vagas

Resultado foi o melhor em 11 meses e vem reafirmar retomada do setor; dados foram retirados da última divulgação do Caged

| ACidadeON Campinas

O setor registrou a abertura de 516 vagas de trabalho com carteira assinada no mês de janeiro (Foto: Arquivo ACidade ON) 

A construção civil da RMC (Região Metropolitana de Campinas) começou o ano em alta. O setor registrou a abertura de 516 vagas de trabalho com carteira assinada no mês de janeiro, o melhor resultado nos últimos 11 meses.

Os números do mês passado só ficaram abaixo de janeiro de 2018, quando o saldo foi de 636 postos abertos. Em dez cidades o saldo foi positivo, sete fecharam o período no negativo e em dois, o saldo foi zero.

De acordo com os números do Caged, no mês de janeiro foram admitidos 2.234 trabalhadores e demitidos 1.718, resultando no saldo de 516 contratações pelo setor nos municípios que formam a RMC.

Indaiatuba foi o município com maior número de vagas abertas: 175, seguida por Campinas (123) e Americana (120). Paulínia liderou as cidades que apresentaram mais demissões que contratações: - 37, seguida por Hortolândia (21) e Jaguariúna (15)

Para o presidente da Associação Regional da Construção de Campinas e Região (Habicamp), Francisco de Oliveira Lima Filho, o balanço de empregos do Caged em janeiro reforça a expectativa de toda a cadeia do setor, - responsável por 9,5% do Produto Interno Bruto (PIB) - que prevê uma alta de 1,8% para este ano na comparação com o ano passado.

"A previsão de crescimento não é muito alta quando comparamos até 2014, quando o setor vivia um boom de lançamentos, construções e vendas de empreendimentos, mas acompanha a retomada iniciada no ano passado", afirma.

2018


O setor da construção civil da Região Metropolitana de Campinas (RMC) fechou 360 postos formais de trabalho no ano de 2018. Apesar de negativo, o número representou uma forte queda na comparação com 2017, quando toda a cadeia eliminou 1.229 vagas, no momento mais crítico da crise econômica do país. Em dezembro, as empresas que compõem o setor eliminaram 50 postos na região.

Nos 20 municípios da RMC, em oito deles foram abertas mais vagas do que fechadas no ano passado. O destaque foi Paulínia, onde o setor gerou 1.049 postos de trabalhos no acumulado de doze meses. Artur Nogueira (42), Campinas (25), Holambra (31), Indaiatuba (116), Jaguariúna (24), Nova Odessa (13), Valinhos (28) e Vinhedo (50) também encerraram o ano com saldo positivo.