Aguarde...

cotidiano

Menor confessa que espancou jovem em frente a Hípica

Advogado de defesa de adolescente diz que ele nunca alegou inocência, que está arrependido e teria sido provocado

| ACidadeON Campinas

Os três adolescentes perseguiram a vítima em rua próxima da Hípica por cerca de 2 minutos (Foto: Reprodução)  
*Atualização no dia 26/09, às 18h56: O vídeo foi editado por força de decisão judicial. 

Um dos adolescentes envolvidos na sessão de espancamento de um jovem de 17 anos em frente ao Clube da Hípica, no bairro Parque das Palmeiras, no começo deste mês, em Campinas, confessou na tarde desta segunda-feira (23) à Justiça que agrediu o jovem. Além dele, outros dois menores de idade estão apreendidos pela Justiça e ficarão por pelo menos 45 dias na Fundação Casa após o ocorrido.

A confissão ocorreu na audiência de apresentação dos três adolescentes que participaram do espancamento, com o juiz da 3ª Vara Criminal de Campinas, Nelson Augusto Bernardes, na Cidade Judiciária.

O advogado de um adolescente, Daniel Bialski, disse que em momento algum o adolescente negou a agressão e que o jovem estaria arrependido. "Meu cliente nunca alegou que é inocente, nunca alegou. Ele confirmou que praticou a agressão. E está arrependido do ato que praticou", disse o advogado.

Bialski também afirmou que o jovem disse, em todas as vezes, que foi provocado pela vítima do espancamento e que houve um deboche. "Ele diz que perdeu a cabeça", afirmou o advogado de defesa do adolescente.

Na semana passada imagens da agressão mostraram como foi o ataque. A vítima teve ferimentos graves e passou por cirurgia. Atualmente ele se recupera da violência em casa. Ainda na semana passada a Justiça negou um habeas corpus pedindo a suspensão da internação provisória de um dos menores suspeitos. O caso corre em segredo de Justiça.

ENVOLVIMENTO DO PAI

O pai de um dos adolescentes também é investigado por participação no crime. Ele levou os adolescentes até o local, viu a agressão e levou os menores embora. Segundo Bialski, que também defende o pai do adolescente, o caso também será esclarecido, por meio de outra investigação.

Sobre a dúvida do pai não ter prestado socorro ao jovem espancado, o advogado diz que o pai não conseguiu ajudar, de fato, pois o menino correu para dentro do Clube da Hípica, o qual ele não é sócio. "Temos uma testemunha que ouviu ele gritar para o menino. Ele é conhecido na cidade pela sua correção, honestidade, caráter. Inclusive, ele falou com o pai do menino, se colocou a disposição para conversar sobre o que aconteceu e reparar", disse.   


 
O CASO


O caso de espancamento aconteceu no começo deste mês e causou repercussão na cidade. A vítima, também de 17 anos, foi cercada pelos três adolescentes, que avançaram sobre ele. O ataque ocorreu na Rua Buriti, no bairro das Palmeiras, em frente ao clube. Toda a agressão foi gravada por câmeras de segurança do clube e estão em segredo de Justiça.

A vítima sofreu fraturas graves e chegou a ficar internada no hospital após uma cirurgia. A desavença entre os adolescentes ocorreu porque a vítima teria ficado com uma ex-namorada de um dos agressores.

Além da investigação do caso, a polícia apura a participação do pai de um dos adolescentes. Ele teria levado e buscado os adolescentes no local. Ele também não prestou socorro ao jovem agredido que foi socorrido por funcionários do clube.   
 
OUTRO LADO 
 
O advogado Alexandre Sanches Cunha foi procurado mas ainda não retornou o pedido. Já o advogado Rodrigo Almeida, do terceiro agressor, disse que não está autorizado a tecer qualquer comentário sobre o processo.

(Com informações de Hidaiana Rosa e Paulo Gonçalves, da EPTV Campinas)


Mais do ACidade ON