cotidiano

Viracopos recebe quarto lote de vacinas da Pfizer nesta quarta

Remessa com 629,4 mil doses do imunizante chega na noite de hoje

| ACidadeON Campinas -

 

Remessas da Pfizer chegam pelo Aeroporto de Viracopos (Foto: Denny Cesare/Código19)

O Aeroporto Internacional de Viracopos recebe na noite desta quarta-feira (19) o quarto lote de vacinas da Pfizer/BioNTech contra a covid-19.

A remessa deve chegar com 629,4 mil doses do imunizante. A entrega faz parte do primeiro contrato de 100 milhões de doses feito pela farmacêutica com o governo federal. Até o momento, 2,2 milhões já foram entregues ao Ministério da Saúde. Na última semana, o Ministério da Saúde assinou um novo contrato com a empresa para compra de mais 100 milhões de doses de vacinas contra a covid-19.

Todas as entregas do imunizante até agora chegaram por Campinas. No entanto, a cidade ainda não recebeu parte dos imunizantes, que a princípio estão sendo distribuídos somente para as capitais.

A Pfizer é a terceira vacina a ser usada no Brasil para enfrentamento à covid-19 e, com a nova entrega, o país contabilizará 2,8 milhões de imunizantes da farmacêutica americana. O cronograma prevê a totalização das 100 milhões de doses do primeiro contrato até o fim do terceiro trimestre de 2021.

O VOO

O avião decola de Miami, nos Estados Unidos, e deve chegar ao terminal de Campinas por volta das 19h. Um esquema de segurança da Polícia Federal acompanha o desembarque e transporte do imunizante até o centro de distribuição do Ministério da Saúde, em Guarulhos.
 
Na última quarta-feira (12), 628 mil doses chegaram no terceiro carregamento. As duas primeiras remessas chegaram ainda em abril, nos dias 5 e 29.    

CAMPINAS

A Prefeitura de Campinas já afirmou que pediu doses da Pfizer para o Ministério da Saúde e que pode aplicar o imunizante, mas disse que ainda não tem data definida para isso. Na última semana, o estado de São Paulo cedeu 18 freezers para armazenamento do imunizante à Campinas.

Isso porquê a vacina da Pfizer necessita de condições especiais de armazenamento segundo o fabricante e o Ministério da Saúde. Elas precisam ser colocadas em caixas com temperaturas entre -25°C e -15°C por, no máximo, 14 dias.


Publicidade