cotidiano

Jovens de 18 a 24 anos têm menor índice de vacinação em Campinas

Enquanto as demais faixas etárias superam os 50%, apenas 39,4% dos jovens de 18 a 24 anos em campinas buscaram a vacina de covid-19

| ACidadeON Campinas -

Vacinação contra a covid-19 (Foto: Reprodução/EPTV Campinas)
 

Os jovens de 18 a 24 anos integram o grupo que estão com baixo índice de vacinação quando se fala do ciclo completo de vacinação - ou seja, duas doses ou dose única. Os dados são da secretaria de Saúde de Campinas.

Enquanto as demais faixas etárias superam os 50%, apenas 31,7% dos jovens de 18 a 24 anos em Campinas buscaram a vacina de covid-19. O número total deste público é de 147.833 pessoas e um total de 46.864 tomaram a vacina.

Além disso, quando se fala dos jovens desse grupo que tomaram apenas a primeira dose, o índice foi de 68,3%. Sobre a situação, a Prefeitura informou que existem vagas para esta faixa etária agendar a vacina no sistema, mas os jovens não estão buscando o agendamento.

Por conta disso, a Saúde alerta que a baixa procura é preocupante porque esse grupo trabalha e circula muito, ou seja, corre risco de pegar a doença e contaminar outras pessoas.

"Dessa faixa etária, cerca de 50 mil pessoas ainda não procuraram a vacinação da 1ª dose. Isso é muito preocupante porque é uma população que, sendo da idade, costuma se aglomerar mais, até em churrascos, festas", disse a diretora do Devisa (Departamento de Vigilância em Saúde) de Campinas, Andrea von Zuben.

Ainda de acordo com ela, existe ainda a preocupação com a abertura de eventos com público em pé, conforme o estado determinou.

"Até vai ser uma exigência ter as duas doses da vacina. E é extremamente importante que essas pessoas estejam imunizadas. O fato de muitas pessoas ainda sem vacina pode levar a um surto, e entre várias pessoas que adoecem, sempre vai haver gravidade", disse.

Andrea disse também que é necessário o pensamento coletivo. "Você não pode pensar só em você como indivíduo, mas deve pensar na coletividade ao seu redor, que vai desde as pessoas que moram com você, que pode ser um idoso ou com comorbidade, e também todas as pessoas que convivem. É uma falta de respeito".

De acordo com a Saúde, a cidade ainda tem cerca de 8 mil vagas abertas.


VACINADO

Aos 19 anos, o empreendedor Nicollas Feitoza aguardou oito meses até chegar a vez dele para tomar a dose da vacina contra a covid-19. "Eu não via a hora de tomar a vacina, principalmente pelo motivo de trabalhar com meu avô e ter contato com ele todos os dias. Sempre tive esse medo de contaminação. Era um receio", contou.

Após ele ter tomado as duas doses da vacina, até as visitas a clientes e viagens a trabalho foram retomadas. "Conseguimos visitar os clientes e lojas. E não sabemos como está a saúde deles, como eles estão se protegendo. Então, sempre ficamos com um pé atrás para poder ter o contato com as pessoas".

Para ele, a única forma de frear a pandemia e evitar novas variantes é a vacinação em massa. (Com informações da repórter Júnia Vasconcelos, da EPTV Campinas)




Mais notícias


Publicidade