Publicidade

cotidiano

Parques marcam estilo de vida e garantem 'reserva verde' em Indaiatuba

Cidade tem como característica a oferta de parques, sendo o principal deles uma referência para a ligação entre duas regiões do município

| ACidadeON Campinas -

Celebração da data será restrita a homenagens, sem público ou pelas redes sociais, e missa virtual, para evitar aglomerações. (Foto: Eliandro Figueira)

Parte do planejamento urbano, com oferta gratuita de lazer, esporte e eventos culturais, os parques são uma referência da vida em Indaiatuba. O Ecológico, por exemplo, além de famoso cartão-postal, é um eixo de desenvolvimento. Inaugurado em 1992, ele corta 80% do município e, com suas avenidas marginais, liga duas grandes regiões urbanas, estruturando a expansão do município para o sul.

Segundo Guilherme Gaspar Magnusson, secretário interino de Serviços Públicos, além de integrar ambientes urbanos e trazer qualidade de vida, o investimento nos parques garante preservação ambiental. "É importante a integração entre cidade e natureza, não ficar só no concreto. Também tem a área permeável para circulação da água de chuva. Funciona como drenagem e previne enchentes", conta.

No complexo do Ecológico, um parque linear de 15km com pistas de caminhada, corrida, ciclovias e quadras, estão abrigados também os parques Temático, que exibe animais gigantes feitos de fibra, e da Criança, com piscina (fechado no momento devido ao coronavírus).  
 
Essa matéria faz parte do hotsite "Viva Indaiatuba" que o ACidade ON produziu em comemoração os 190 anos da cidade que acontece na quarta-feira, dia 9 de dezembro. Clique aqui e confira todas as matérias produzidas para a data!

Existem, porém, outros "ecológicos", como o do Jardim Itamaracá, e o Parque das Frutas, em que podem ser observados pássaros exóticos. "Está em execução o Ecológico do Buru, com lazer completo, pistas, lagos", afirma Magnusson, sobre projeto para a região do bairro Parque Campo Bonito.

Outra área verde importante é o Parque do Mirim, complexo de lazer instalado ao redor da represa do Capivari-Mirim, um reservatório que ajuda na oferta de água bruta do município em tempos de estiagem. A cidade possui também projetos educacionais em áreas cercadas por mata, como o Museu da Água e o Bosque do Saber.  
 

O eletricitário Luiz Carlos dos Santos e sua filha Beatriz, no mirante do Parque do Mirim. (Foto: Arquivo pessoal)

Vindo de São Paulo, o eletricitário Luiz Carlos dos Santos, 57 anos, diz que a oferta de lazer e cultura nos parques é um diferencial de Indaiatuba, onde desembarcou com a família há 14 anos. "Aqui tem muito dessa cultura de sair com a família, em praças e parques bem cuidados. E também em restaurantes tradicionais, onde todos se reúnem", afirma.

Santos enumera passeios feitos em parques como o das Frutas, do Mirim e o Ecológico. E ressalta as áreas para prática gratuita de esportes nos maiores parques, com orientadores. "Meu filho Felipe, por exemplo, já fez futebol society, handebol", diz. "É uma vida diferente, clima de cidade pequena com cara de cidade grande."

Mais notícias


Publicidade