Aguarde...

ACidadeON Campinas

docon

COLUNA: Ferrari lança superesportivo para celebrar 90 anos

Antonio Fraga traz as novidades do universo automotivo da semana

| Especial para ACidade ON

SF90 Stradale: supermáquina (Foto: Divulgação) 

Quase um F1
Para comemorar os 90 anos da mais fascinante marca de automóveis esportivos do mundo, a Ferrari lança o SF90 Stradale. O nome do modelo é uma homenagem à Scuderia Ferrari de F1 que, apesar de que na categoria faz tempo que não ganha um campeonato, no ano que vem comemora 100 anos.

A história da Scuderia Ferrari começa em 1929, quando Enzo Ferrari, com modelos de corrida Alfa Romeo, funda a sua equipe de corridas. Em 1947, após o término da segunda guerra mundial, a marca começa a desenvolver carros de rua. O SF90 Stradale pertence à série de berlinettas superesportivas lançada em 1962, com o 250 GTO (300 cv). Depois vieram, sempre em edições limitadas, as 288 GTO (1984 com 400 cv), F40 (1987 com 478 cv), F50 (1995 com 519 cv), Enzo (2002 com 660 cv), La Ferrari (2013 com 963 cv) e LaFerrari Aperta (2016 com 963 cv).  

O novo superesportivo italiano tem motor à combustão V8, quatro litros, a gasolina e três motores elétricos que juntos desenvolvem 1.000 cavalos. Segundo a marca, a SF90 acelera de 0 a 100 km/h em míseros 2,5 segundos e de 0 a 200 km/h em 6,7 segundos. A velocidade máxima é de 340 km/h. O motor na posição central do carro tem acoplada uma transmissão automática de oito velocidades que fica sobre o eixo traseiro.  

A nova transmissão é dez quilos mais leve porque, além do material utilizado, não conta com a marcha a ré. Esse procedimento é feito por um motor elétrico separado. A troca de marchas é impressionantemente rápida, de apenas 200 milissegundos. A tração é nas quatro rodas.  

Selo comemora os 70 anos da Abarth (Foto: Divulgação)

 Muita festa 

Para comemorar os 70 anos da preparadora de carros esportivos e de corrida Abarth, foi produzido um selo criado pela San Marino Philatelic Numismatic Office. Com uma tiragem de 60 mil exemplares e valor de 1,60 euros, o selo é um objeto de coleção que retrata o inconfundível emblema do Escorpião e uma bandeira de xadrez em tributo às vitórias da marca italiana nas competições. Bem ao estilo italiano, a data vai produzir um encontro em Milão com milhares de fãs e seus bólidos, o Abarth Days 2019, nos dias 5 e 6 de outubro, no futurista Milan Innovation District (MIND). 

Panamera comemora dez anos (Foto: Divulgação)

Para poucos
Já falamos aqui que para os puristas da marca alemã Porsche, o Cayenne, o Panamera e o Macan não são bem vistos. Porém, foram esses modelos que salvaram a marca e a transformaram num sucesso de vendas, principalmente na China e EUA. E a marca comemora os dez anos do lançamento do Panamera com a edição especial "Panamera 10 Years Edition". A versão conta com equipamentos especiais para o modelo comemorativo e tem como destaque o logotipo "Panamera10" em ouro branco nas portas dianteiras do lado externo, no painel na frente do passageiro e nas soleiras das portas. O Panamera 4 10 Years Edition tem duas versões, uma com motor biturbo de 2,9 litros, de 330 cavalos, e a outra a Panamera 4 E-Hybrid.   

Mercedes-AMG A 35 4MATIC (Foto: Divulgação)

Que delícia
Um "foguete" muito especial é o novo modelo que a Mercedes-Benz brasileira já está disponibilizando no mercado nacional. O esportivo Mercedes-AMG A 35 4MATIC chega ao mercado com um novo motor de dois litros turbo e quatro cilindros fabricado em linha, que entrega uma potência máxima de 306 cavalos e 400 Nm de torque.  

Brava completa 20 anos (Foto: Divulgação)
Marcou época
Lançada em setembro de 1999, há 20 anos, com o slogan "Pecado é não ter um", a Fiat Brava chegou para ocupar o espaço do Tipo, que foi um sucesso enquanto importado. Além do visual mais arredondado, exibia conjuntos óticos muito característicos do modelo, com faróis estreitos e lanternas traseiras divididas em três partes, uma ousadia tamanha até nos dias de hoje. Tamanha ousadia fez o carro não ser o sucesso que foi o antecessor. Antes de trazer a Brava, a marca italiana avaliou internamente trazer o Bravo, muito mais elegante e esportivo, mas esse tinha carroceria de duas portas e o mercado pedia produtos com quatro portas.   

Segunda geração do EcoSport chegou a 500 mil unidades (Foto: Divulgação)

Sucesso absoluto
A Ford comemorou a produção de 500 mil unidades do EcoSport de segunda geração na fábrica de Camaçari, na Bahia, desde 2012. Se fossem enfileirados, esses veículos formariam uma linha contínua de 2.134 km, a mesma distância de São Paulo a Recife. Desse total, 59% foram destinados ao mercado interno e 41% exportados para países como Argentina, México, Colômbia, Equador, Peru, Paraguai, Uruguai e Bolívia. Primeiro veículo global desenvolvido no Brasil, o EcoSport hoje é fabricado também na China, Índia e Romênia para venda em mais de 150 países. Desde a primeira geração, lançada em 2003, a produção total do EcoSport na Bahia já passa de 1,2 milhão de unidades.

Educação e respeito
Infelizmente as vagas de idosos nem sempre são respeitadas. As desculpas para esse tipo de infração são inúmeras, como "eu não vi", "foi somente uma parada rápida" e "fui deixar minha avó lá dentro". Mas esse mau comportamento não passa despercebido pela legislação de trânsito. Os infratores podem ser multados caso utilizem a vaga sem ter direito a ela: pagamento de R$ 293,47 e sete pontos na carteira, além de ter seu veículo guinchado. Para poder usufruir da vaga exclusiva para idoso, o usuário deverá ter idade igual ou superior a 60 anos e possuir o Cartão de Estacionamento (devidamente cadastrado), que sempre deverá estar visível quando o veículo estiver parado na vaga destinada a idoso. O veículo até pode ser estacionado por outra pessoa com menos de 60 anos, desde que acompanhada do idoso.  

Quase um Boeing
O carro mais veloz do mundo está no Distrito Federal. E não faz parte da coleção espetacular do ex-piloto de Fórmula Um Nelson Piquet. Pertence à funcionária publica Lana Albuquerquem, que possui um Hyundai que atingiu 710 quilômetros por hora em outubro de 2018, na rodovia distrital, Estrada Parque Núcleo Bandeirante (EPNB). Disse a proprietária do "supercarro": "achei estranho porque o documento do IPVA 2019 não chegou, então fui consultar no site do Detran e me deparei com a surpresa de que meu carro estaria a 710 km/h na EPNB". Apesar disso, ela não descarta que dirigiu acima da velocidade, e disse que vai pagar a multa. "Certamente posso ter passado um pouquinho acima da velocidade da via, porém, o meu carro ainda não é um avião", brinca.
O documento traz outro dado curioso de que a velocidade máxima permitida no local é de 600 km/h 10 vezes maior do que o limite no local.

Pequena melhora
A Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores) divulgou esta semana os resultados dos emplacamentos de veículos no mês de setembro e o acumulado de 2019. Os dados apresentados pela entidade mostram que, de janeiro a setembro de 2019, foram emplacados 2.952.485 veículos, considerando automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas, implementos rodoviários e outros, o que representa alta de 11,4%, na comparação com o mesmo período do ano passado, quando foram emplacadas 2.650.230 unidades. No mês de setembro, 336.991 veículos novos foram comercializados, o que representa 12,48% de crescimento sobre o volume registrado no mesmo período de 2018, quando foram vendidos 299.605 veículos. Entretanto, na comparação com as 347.084 unidades registradas em agosto deste ano, houve leve queda, de 2,91%.  

Importados em queda
A Abeifa (Associação Brasileira das Empresas Importadoras e Fabricantes de Veículos Automotores) também divulgou os seus números. Segundo a entidade, foram licenciados 2.846 unidades em setembro, contra 3.031 unidades em agosto deste ano. Isso registra uma queda de 6,1% . Ante setembro de 2018, quando foram comercializadas 2.913 unidades, a retração é de 2,3%. O desempenho negativo de 6,1% em setembro último comprometeu ainda mais o resultado do acumulado dos primeiros nove meses do ano. A queda ainda persiste, agora de 9,8% no período de janeiro a setembro. Embora o setor tenha anotado tendência mensal de alta, a três meses do final de 2019, a estimativa de vendas para o ano, já revisada em julho último, de 40 mil unidades, foi agora para 35 mil unidades.  

Arrizo 5e é o novo carro elétrico da Chery (Foto: Divulgação)
A vez dos elétricos
Agora virou febre. De repente as marcas instaladas no Brasil começaram a apresentar seus modelos elétricos e híbridos. Recentemente, a Toyota mostrou o novo Corolla híbrido, a JAC diversos elétricos, que incluem uma picape, dois SUVs, um hacth e um caminhão urbano. Por último, a Caoa Chery apresentou o Arrizo 5e. O modelo é o único carro produzido em série no Brasil a dispor de uma versão elétrica. O modelo traz baterias de íons de lítio com capacidade de carga de 53,5 kWh, uma das mais altas para modelos elétricos já disponíveis no mercado brasileiro e com isso sua autonomia pode chegar a 322 quilômetros, auxiliada ainda por um sistema de regeneração de energia (ERE - Energy Recovery), que atua com sete diferentes níveis, sendo quatro padrões e três adicionais.  

Segundo a marca, o tempo estimado de carregamento das baterias é de até uma hora em sistema de carga rápida (eletropostos), de até oito horas em sistema Wall Box e de até vinte horas com cabo emergencial em tomada de três pinos. A potência do Arrizo 5e é de 90 kW, equivalente a 122 cv. O torque é de 276 Nm, ou 28,1 kgfm. Como comparação, a versão do Arrizo 5 com motor a combustão, 1,5 l turbo Flex, tem 150 cv e 190 Nm / 19,4 kgfm, respectivamente. A velocidade máxima do Arrizo 5e é de 152 km/h. 

Durante o test drive, com três pessoas a bordo, o modelo surpreendeu pelo excelente desempenho. Como nos modelos elétricos a "potência" vem de uma vez só, a arrancada é espetacular, deixando os carros à combustão para trás. Mesmo a acelerando mais agressivamente, o modelo não faz feio e a autonomia não cai muito. O cliente tem possibilidade de escolher o modo mais econômico ou esportivo.

Externamente, o modelo é igual ao já comercializado com motor à combustão. Internamente, também não há grandes mudanças, a não ser no seletor de "marcha" que é um botão redondo, no qual você pode escolher "para a frente, ré e neutro".  

O espaço é confortável para quatro passageiros, porém, assim como nos demais carros elétricos de passeio, a colocação das baterias cria um problema: a altura do assoalho é alterada em relação ao modelo de combustão. Assim, no Arrizo e nos modelos da JAC o piso sobe, deixando as pernas dos ocupantes muito dobradas, o que é cansativo em viagens longas. O motorista fica com as pernas mais esticadas, quase um esportivo. No caso do modelo hibrido da Toyota, as baterias ficam debaixo do assento traseiro que o deixa mais elevado dificultando acesso e a cabeça muito encostada no teto.  

O modelo tem oito anos de garantia para o sistema de propulsão elétrico e três anos para o veículo completo. Até dezembro, o modelo será oferecido exclusivamente para clientes jurídicos, e a partir de janeiro de 2020 para pessoas físicas, por R$ 159.900,00.

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ACidade ON. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. ACidade ON poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."

Facebook

Mais do ACidade ON