Aguarde...

ACidadeON Campinas

docon

A prosa, um tantinho nonsense, aconteceu dias atrás

Meu espanto não teve a ver com o elenco reduzido de escolhas, mas com uma pergunta que agora me persegue: como assim, não gostar de nada?

| ACidadeON/Ribeirao

Fernando Kassab é colunista do portal ACidade ON (Foto: Divulgação)
 
Menu minimalista

Sei que talvez pareça um diálogo bastante estranho - e nada pode ser mais acertado do que se pensar assim para a conversa que se segue. A prosa, um tantinho nonsense, aconteceu dias atrás, durante a gravação de uma reportagem. Logo depois de acabar a entrevista, uma senhora, 50 anos, por aí, se aproximou. Longe ser uma anoréxica, de estatura baixa e "gordinha desde pequenininha", segundo ela mesma, resolveu puxar assunto sobre as minhas preferências gastronômicas.

Diante da resposta que dou sempre - "quanto mais simples a receita, melhor", o que sempre ajuda a "editar" o assunto e expressa o meu preconceito zero com qualquer tipo de alimento -, ela se assustou e devolveu, olhos arregalados, "jura que você come de tudo?". Diante da afirmativa, ela começou a dizer o que não gostava de ver à mesa e/ou nem passava perto, também "desde criancinha", segundo ela.

Meu espanto não teve a ver com o elenco reduzido de escolhas, mas com uma pergunta que agora me persegue: como assim, não gostar de nada? Respeito, claro, mas deve ser uma vida bastante difícil dizer não para tantas coisas. Repito: não se trata de um distúrbio alimentar ou de uma doença relacionada à falta de apetite (ela confessou que sente bastante fome, mas sempre das mesmas coisas, todas de fama duvidosa).

Algumas avós talvez digam que faltou, vez por outra, a velha psicologia do "só com uma boa surra", o que é sempre um horror. Os refinados talvez digam que é porque ela talvez não saiba apreciar os sabores. Os gulosos, por sua vez, talvez pensem que a conversa não faz o menor sentido. Os muito conscientes, certamente, vão dizer que faltou alguém que a ensinasse a comer certo desde a mais tenra infância. Eu, por minha vez, sou só espanto. Ou não é para ficar espantado com o diálogo que se segue:

- Mas você não come carne, frango ou peixe por ser vegana ou vegetariana? 

- Não...adoro presunto, desde que seja só a fatia, pura...Ah, me lembrei: também adoro uma calabresa bem frita, quase torrada, e salsicha...mas não como um cachorro quente nem amarrada.  

- Vegetais?  

- Não imagino o gosto que tem uma cenoura, vagem, brócolis, couve-flor, alface...nada disso. Outras, eu até já ouvi falar, mas não saberia identificar, como escarola, aspargo, agrião. Só de pensar no cheiro que têm, passo mal.  

- Batata?  

- Só frita, e mesmo assim, só em restaurantes, porque não frito nada em casa; também não suporto o cheiro de fritura. Batata cozida, assada...acho um horror!  

- Ovos?  

- Nunca comi na minha vida. Como não sei se os bolos, doces ou biscoitos levam ovos, não como nada disso. A não ser que a pessoa que fez jure de pés juntos que não usou ovos. Mesmo assim, fico sempre em dúvida...  

- Queijo, então, nem pensar?  

- Mozarela eu gosto...às vezes. Como alguém pode gostar de queijo branco, me diz? Pior, só mesmo o queijo gorgonzola; só o cheiro já me faz sair correndo!  

- Pão?  

- Desde que seja puro - detesto manteiga, margarina, requeijão...essas coisas. Maionese, então, nem pensar! Também sempre me pergunto como alguém pode gostar de maionese.  

- Arroz? Feijão? Macarrão?  

- Nunca comi feijão. Arroz, se for soltinho de verdade, bem de vez em quando, sem mistura por cima ou por baixo. Só de pensar em um prato de macarrão com molho de tomate eu passo mal, bem mal. Feijoada, cozido, estrogonofe...pratos combinados, cheios de coisas, também não gosto e não como. Aliás, detesto cebola, mas gosto de alho e de macarrão alho e óleo. Sem queijo parmesão, pelo amor de Deus!  

- Café?  

- Não. Nem chá ou leite. Cerveja eu gosto, bem de vez em quando, e gosto de refrigerante, desde que não diet, light, essas coisas. Suco de laranja eu nunca bebi na vida, nem limonada.  

- Doces?  

- Vamos combinar que o leite condensado é uma invenção do mal, né? Quem pode gostar daquilo? Nunca comi um brigadeiro na vida! Beijinho de coco, bananada, doce de abóbora...não como nada disso. Pão doce eu também acho que é uma invenção bem desnecessária: pra que colocar coco e creme de ovos em cima de um pão?  

- Tem gente que gosta...  

- Mas é um gosto estranho...bem estranho, além de ser um pão sempre molenga...  

- Já sei - digo eu, como se tivesse descoberto a pólvora -, você gosta de chocolate!  

- Não gostava muito e sempre comia o meio-amargo. Mas agora inventaram esses muitos escuros e, bem de vez em quando, eu como um pouquinho. Mas, chocolate doce, nem pensar.  

- Você não vai muito a festas, aniversários, jantares com os amigos...  

- Vou...as pessoas acham que eu sou meio diferente e já se acostumaram.  

- Quer dizer, se eu convidar você para jantar lá em casa, o prato ideal seria um arroz com calabresa torrada, salsicha muito cozida e presunto por cima?  

- Pode ser tudo separado?

Mais do ACidade ON