Aguarde...

Economia

PIB de Campinas atinge maior nível dos últimos 5 anos

Em Campinas, a maior fatia do PIB segue com o setor de serviços, que gerou R$ 590 milhões no terceiro trimestre do ano passado

| ACidadeON Campinas

PIB de Campinas no ano de 2019. (Foto: Divulgação/Prefeitura de Campinas)

O PIB (Produto Interno Bruto) da Região Administrativa de Campinas chegou a R$ 1,135 bilhão no terceiro trimestre do ano passado, atingindo o maior nível trimestral desde o início de 2015. Os dados são da Fundação Seade e foram divulgados nesta quinta-feira (30).

O valor equivale a 18,3% do PIB estadual, que no 3º trimestre de 2019 chegou a R$ 6 bi. A região de Campinas continua com a segunda maior participação no PIB paulista, atrás apenas da Grande São Paulo (que responde por 53,4%).

Além disso, no acumulado de 12 meses, o crescimento do PIB de Campinas foi de 2,1%, quarto maior índice entre as regiões paulistas. O número só é menor que as regiões de Sorocaba (3,8%), Itapeva (2,7%) e São Paulo (2,7%).

Em Campinas, a maior fatia do PIB segue com o setor de serviços, que gerou R$ 590 milhões no terceiro trimestre do ano passado. A Indústria vem em seguida, com R$ 321 milhões, seguida da Agropecuária (R$ 27 milhões). 

BRASIL

No começo do mês, o Banco Mundial atualizou as previsões de crescimento para a economia brasileira e mundial. Em 2020, a instituição estima que o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil deve avançar 2%. Para 2021, a projeção é de alta de 2,5%.

A previsão para 2020 é menor do que a divulgada no último relatório publicado em junho. Mas a estimativa para o próximo ano melhorou. Na leitura passada, o Banco Mundial projetava crescimento de 2,5% em 2020 e 2,3% para 2021.

"No Brasil, a confiança mais forte dos investidores, juntamente com o afrouxamento gradual das condições de empréstimos e do mercado de trabalho, deverá sustentar uma aceleração do crescimento para 2%", informou a instituição em relatório.

Para 2019, a instituição avalia que o PIB brasileiro deve ter crescido 1,1%, 0,4 ponto percentual mais baixo do que o apurado em junho.


Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON