Aguarde...

Economia

Serviços e comércio puxam queda e Campinas perde 3,3 mil vagas

O setor com mais demissões foi o de serviços com 1.759 vagas fechadas

| ACidadeON Campinas

Desemprego aumenta com a pandemia. (Foto: Fotos Públicas)

Prejudicado pela crise econômica gerada pela pandemia do novo coronavírus (covid-19), o emprego formal registrou, em maio, o terceiro mês seguido de desempenho negativo. Levantamento do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) apontou o fechamento de mais de 3.390 mil postos de trabalho em Campinas. Os setores que mais sofreram com o fechamento de vagas foram os de serviços e comércios no mês de maio.

O setor com mais demissões foi o de serviços com 1.759 vagas fechadas. As áreas de alojamento e alimentação representam 781 postos desse total. Já o comércio, que ficou o mês de maio inteiro com as portas fechadas por causa da pandemia do novo coronavirus, foi responsável pelo fechamento de 1.059 vagas na cidade.

Durante a pandemia Campinas já perdeu 16.685 vagas formais de trabalho entre março e maio foram registradas 24.622 contratações e 41.307 demissões. Desde o início do ano Campinas registrou 53.794 contratações diante de 67.734 demissões.  
 
NO BRASIL 
 
No Brasil foram 331.901 postos de trabalho com carteira assinada fechados no último mês. Apesar do encolhimento do emprego formal, houve melhora em relação a abril, quando haviam sido fechados 860.503 postos. A retração de empregos totaliza 1.144.118 de janeiro a maio.

Setores  

Na divisão por ramos de atividade, quatro dos cinco setores pesquisados fecharam empregos formais em maio. A estatística foi liderada pelos serviços, com a extinção de 143.479 postos, seguido pela indústria (de transformação, de extração e de outros tipos), com 96.912 postos a menos. Em terceiro lugar, vem o comércio com o fechamento de 88.739 postos de trabalho.

O nível de emprego diminuiu na construção civil com o fechamento de 18.758 postos. Somente o grupo que abrange agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura criou empregos com carteira assinada no mês passado, com a contratação de 15.993 pessoas.

Mais do ACidade ON